quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Luzes do Mundo - Ken Wilber





Ken Wilber - A integração do tudo






Ken Wilber, um dos maiores filósofos e pensadores contemporâneos, considerado o fundador do campo de Estudos Integrais, é uma das mais claras mentes e mais inteligentes vozes da atualidade. Ele foi chamado de o "Einstein da Consciência" por sua síntese das mais importantes tradições psicológicas, filosóficas e espirituais do Oriente e do Ocidente.


Ken Wilber é um famoso pensador e criador da Psicologia Integral, e de forma mais geral do Movimento Integral. Nascido em Oklahoma City, EUA, em 1949, viveu em diversas cidades ao longo de sua vida já que seu pai pertencia à força aérea americana.





Assim que completou o segundo grau em Lincoln, Nebrasca, começou o curso de Medicina na universidade de Duke.


Logo no primeiro ano de curso perdeu o interesse pela carreira médica e começou a estudar psicologia e filosofia por conta própria. Posteriormente, voltou a Nebraska e completou um mestrado em bioquímica, abandonando em seguida a carreira acadêmica para se dedicar aos estudos e a prática da meditação.


Até 1998 Wilber era tido como uma figura arredia optando por não lecionar e não aparecer em eventos sociais. Preocupava-se estritamente em escrever e conduzir suas pesquisas.


Foi nesse ano que fundou o Integral Institute para fomentar pesquisa, educação e filantropia. O Integral Institute hoje desenvolve um trabalho em 26 áreas do conhecimento humano e conta com mais de 400 pesquisadores.





Posteriormente, criou uma universidade e um centro dedicado à discussão ecumênica, atuando assim por meio de três frentes institucionais.


Wilber e a equipe de assessoria política do Integral Institute trabalharam com Al Gore, Clinton, Bush e Tony Blair. Gore e Clinton, por exemplo, declararam publicamente a admiração pela obra wilberiana.





Em seus primeiros estudos, Wilber chegou a um impasse. Ao final da década de 1960, Wilber, então com 20 anos, interessou-se por compreender o desenvolvimento humano e empreendeu um exaustivo e intensivo estudo das principais escolas de psicologia ocidentais e das tradições de sabedoria orientais e ocidentais, que deu origem ao seu primeiro livro, O Espectro da Consciência, escrito aos 23 anos.





A evolução da obra escrita de Wilber é indissociável do amadurecimento do próprio filósofo, marcado por grandes rupturas, tanto teóricas quanto pessoais.


"Se eu quero conhecer o ser humano, o caminho que eu vou seguir é tentar conhecê-lo através de todo o conhecimento que ele produziu seja na área da ciência, filosofia, artes ou da religiosidade." - Ken Wilber


Essa é uma proposta extremamente ambiciosa que ele fez e está cumprindo até hoje. Wilber deu início a um estudo das escolas de psicologias ocidentais e das tradições da sabedoria oriental.


Àquela época, surgiu-lhe uma contradição aparentemente insolúvel: Freud afirmava que, para ser feliz, o ser humano deve fortalecer o ego e Buda dizia que, para ser feliz, deve morrer para o ego.


São propostas aparentemente antagônicas. Nesse ponto surge a genialidade do Wilber. A linha mestra do pensamento dele: "eu não posso aceitar que tanto Freud como Buda, que são dois lideres iluminados da humanidade, possam ter errado totalmente", nascendo então a premissa fundamental que rege o pensamento wilberiano: todos estão certos, mas parcialmente certos; ninguém possui a verdade completa (inclusive o próprio Wilber).






A originalidade de Wilber está na percepção profunda desse impasse. Diante de dois gênios da humanidade, ele não conseguia aceitar que um deles pudesse estar completamente errado.


Todas as verdades são parciais. Então, tudo que o ser humano gerou em termos de conhecimento em seu sentido mais amplo, é uma verdade parcial.



Tal insight norteou todo o pensamento wilberiano no sentido de que ninguém erra 100%, todos tem alguma contribuição para dar. Seu esforço intelectual, então, se concentrou na tarefa de como integrar as verdades parciais de quase todos os saberes da humanidade (da física à sociologia) num sistema explicativo, numa matriz que respeite a hierarquia e o senso de proporção de cada proposta.





Sua obra concentra-se basicamente na integração de todas as áreas do conhecimento (ciência, arte, filosofia, espiritualidade).

"A pessoa iluminada de hoje e de 2.000 anos atrás, é igualmente livre. Mas agora, pela primeira vez na história humana, temos o potencial para a mais completa experiência espiritual, do que nunca antes foi possível. " -Ken Wilber


A preocupação em unir ciência e religião apoia-se em sua própria experiência e na de diversos místicos de algumas das grandes tradições de sabedoria, tanto ocidentais quanto orientais; aliado à sua releitura transpessoal da psicologia analítica de Carl Gustav Jung.


Mesmo sendo considerado um fundador da escola da Psicologia Transpessoal, desde então ele se dissociou dela. Em 1998 Wilber fundou o Instituto Integral (Integral Institute), organização que reúne os inúmeros pensamentos nas questões sobre a ciência e a sociedade de maneira integral.





Ele tem sido pioneiro no desenvolvimento da Psicologia Integral, da Política Integral - e, mais recentemente, de uma nova Espiritualidade Integral.


Daí em diante, seu trabalho centrou-se na busca de um sistema coerente que integrasse as verdades parciais das diferentes áreas do saber numa verdade que, embora ainda parcial, fosse mais abrangente.


Em 1995, após mais de uma dezena de livros publicados, ele apresentou os fundamentos do Modelo Integral na obra seminal Sex, Ecology, Spirituality.


No dia 4 de Janeiro de 1997, o jornal alemão Die Welt declarou Wilber como "o maior pensador no campo da evolução da consciência".


Até 1998 Wilber trabalhou praticamente de forma solitária. Nesse ano, recebeu uma doação de um milhão de dólares de um grupo de empresários norte-americanos que se encantou com suas idéias. Esse fato foi extremamente importante para a divulgação e desenvolvimento do Modelo Integral: ele fundou o Integral Institute.



Alguns pensadores integrais, membros fundadores desse Instituto, são: Warren Bennis, Fred Kofman, Deepak Chopra, Robert Kegan, Francisco Varela, Roger Walsh, Frances Vaughan, M ichael Murphy, Larry Dossey, Joe Firmage, George Leonard, Tami Simon, Alex Grey, Stuart Davis, Ed Kowalczyk, etc.






O que torna Ken Wilber especialmente relevante no mundo de hoje, é que ele é indiscutivelmente o criador da primeira filosofia verdadeiramente abrangente ou integrativa. Como o próprio Wilber diz: "Eu acredito que essa é uma das primeiras filosofias mundiais críveis."


Wilber conseguiu integrar todas as áreas do conhecimento em uma poderosa e revolucionária metateoria denominada Modelo Integral ou Sistema Operacional Integral.



Seu universo de estudo inclui: Física, Química, Biologia, Medicina, Neurofisiologia, Bioquímica, Ecociências, Teoria do Caos, Ciências Sistêmicas, Complexidade, Matemática, Política, Economia, Sociologia, Negócios, Filosofia, Arte, Psicologia, Antropologia, Mitologia e Escolas Contemplativas e Místicas Orientais e Ocidentais, entre outras.

A Abordagem Integral é uma coerente organização, coordenação e harmonização de todas as relevantes práticas, metodologias e experiências, disponível para os seres humanos. Ken Wilber afirma: " Você não pode, realisticamente, honrar vários métodos e campos, sem mostrar como eles se encaixam. É assim que se faz uma verdadeira filosofia mundial. "





Até o presente, Wilber escreveu 23 livros e centenas de artigos e ensaios, muitos dos quais foram publicados em mais de 30 idiomas (inclusive o Português). Ele é o escritor acadêmico mais traduzido dos EUA.


Algumas de suas notáveis obras, já editadas em Português, são: O Espectro da Consciência, A Consciência sem Fronteiras, O Projeto Atman, O Paradigma Holográfico, Um Deus Social, Transformações da Consciência, O Olho do Espírito, A União da Alma e dos Sentidos, Psicologia Integral, Uma Teoria de Tudo, Boomerite, Espiritualidade Integral e Graça e Coragem.


Atualmente, o Integral Institute possui um corpo de mais de 400 pensadores desenvolvendo, sob o enfoque integral, teorias e metodologias práticas nas seguintes áreas: Artes, Ciência Integral, Consciência, Criminologia, Direito, Ecologia, Educação, Educação Correcional, Espiritualidade, Feminismo, Finanças, Matemática, Medicina, Ministério Congregacional, Negócios e Liderança Empresarial, Política, Prática de Vida Integral, Psicologia, Redação, Saúde Pública, Serviço Social, Suicidiologia e Sustentabilidade.


Além disso, em 2007 iniciaram-se as atividades da Integral University, que oferece programas de mestrado e doutorado à luz da Visão Integral.


Os esforços do Integral Institute estão concentrados no desenvolvimento e integração de teorias e metodologias que melhorem o desempenho e mantenham equilibradas quatro perspectivas fundamentais (Wilber as chama de quadrantes) presentes em tudo que compõe o universo: comportamental, intencional, cultural e social.


Além disso, o Modelo Integral preocupa-se em integrar os diferentes e variados níveis de consciência das pessoas, tanto individual quanto coletivamente.




Nestes tempos de turbulência e interconectividade radical, a possibilidade de transformação coletiva nunca foi tão grande e nada é mais importante para essa transformação global do que a atualizar as abordagens e práticas espirituais para o mundo de hoje.


As contribuições wilberianas no campo da psicologia, por exemplo, tiveram tal impacto cultural que a crítica o aclamou como o “Einstein da psicologia moderna”.



“Os místicos e os sábios estão loucos? Porque todos eles contam variações da mesma história, não é? A história de acordar uma certa manhã e descobrir que você é Um com o Todo, de uma maneira sem tempo, eterna e infinita. Sim, talvez eles estejam loucos, esses tolos divinos. Talvez sejam idiotas balbuciando na face do Abismo. Talvez precisem de um bom e compreensivo terapeuta. Sim, tenho certeza que ajudaria. Mas, então, me pergunto. Talvez a sequência evolucionária realmente seja da matéria para o corpo para a mente para a alma para o espírito, cada um transcendendo e incluindo, cada um com uma profundidade maior e com uma consciência maior e uma abrangência mais ampla. E nos alcances mais altos da evolução, talvez, apenas talvez, a consciência individual toque de fato o infinito – a abrangência total do Cosmos – uma consciência Cósmica que é o Espírito desperto para sua própria natureza. É no mínimo plausível. E, me diga: é essa história, cantada pelos místicos e sábios pelo mundo afora, em qualquer sentido mais louca do que a história do materialismo científico, que é aquela em que a sequência inteira é uma fábula contada por um idiota, cheia de som e fúria, significando absolutamente nada? Escute muito cuidadosamente: qual dessas duas histórias realmente soa totalmente insana?" - Ken Wilber, em “A Brief Story of Everything” (1996)


FONTE: http://muitoalem2013.blogspot.com.br/

Postagens populares

O Blog Filosofia Esotérica Brasil é de mesma autoria do Consciência Estelar, vote para melhor blog!

O QUE PROCURA? ACHE POR AQUI!