domingo, 24 de fevereiro de 2013

TRECHO DO TEXTO IV CURA DE ORION -ANDRÉ LOURO DE ALMEIDA

http://3.bp.blogspot.com/__pjrCL4SkiM/TNAkAjoCNKI/AAAAAAAABhg/LAHCWUuKfck/s1600/C%C3%B3pia+de+in_orion_grd.jpg
Quando não estás distraído, e és expontâneo, então estás alinhado com o Cristo.
É preciso fundir expontaneidade com FOCO.

O estado de autoreverência anula automaticamente o campo electromagnético contaminado, que anula por sua vez a nossa auto-imagem real.

A autoridade do pedido, permite passar duma imagem repetitiva, antiga, para a autoreverência.
A principal corrente criadora tem de passar de TI para o Centro de TI.
A matriz de controle “quebra”, por uma imagética elevada de Ti.

A tonalidade lápis-lazuli e turqueza tem a função de ajudar o nosso nervo óptico a entrar em ressonância com as energias intraoceânicas, donde emana grande parte parte das energias de Cura.
O vazio é donde emana o Poder – diz Lao Tsé.

Não se contacta Lis isoladamente, só em Grupo. Não se faz um contacto com um Centro Maior isoladamente. Só em Grupo ou em nome dum Grupo. Sem ambição de poder.
O que é a energia do Poder?

É o grau de vibração que conseguimos alcançar.
O 7º subnível do Plano Físico-Cósmico está ligado ao Mental Cósmico, aos Elohim.
O 5º nível- o Fogo Espiritual do Plano Físico-Cósmico, na base da clareza e da compreensão, está unido ao Astral Cósmico – o Coração. Por isso é tão importante dinamizar o nosso corpo causal, o espelho da Mónada para a Personalidade. Quando estamos distraídos, deixamo-nos “ultrapassar” e regredir para trás do corpo causal....


O corpo causal reune a vibração.
O corpo espiritual eleva a vibração.
O corpo monádico preside à Mutação e Transformação dessa vibração.
O grau de Imagética que usamos, é directamente proporcional à nossa distância da Mónada.
Depois do corpo causal reunir e do corpo espiritual elevar, acontece a “ressurreição”, onde desaparecem os véus que nos cegam e isolam.

Quanto mais a pessoa É, mais percebe que tem de SER.
A autoreverência diminui a quantidade de comida que tens de comer, diminui os medos, as horas de sono, a quantidade de energia dispersa em campos que não constroem a vibração da alma, tanto na vida sexual como familiar.

A autoreverência corta o contacto com o campo electromagnético terrestre, impregnado de uma potência controladora que automatiza todo o ser humano, e faz com que o homem não conheça o seu potencial.
Combate-se o medo, cultivando reverência por si mesmo – é sentar-se e encantar-se com tudo aquilo que o ser não compreende de si mesmo, mas sabe que é “superior”. É aprender a amar o Divino em SI.
É saber com QUEM é que as outras forças têm de se enfrentar em nós.
É desenvolver a capacidade de ser célere, ágil, expedito.
É a capacidade de viver e passar à coisa seguinte. Live and Go On.
A nostalgia do que foi bom, é uma forma de Inércia. É preciso cortar constantemente os “espaços mortos” à volta do núcleo criativo.

Há sempre mais para viver....

Quando a nossa coluna vertebral é preferentemente percorrida por energias de fricção, nós temos uma visão distorcida da realidade, e uma incapacidade de contacto a “fibra óptica central”- os Elohim.
Quando a coluna está plena de energia, a côr é um Branco intenso, e devemos deixá-la circular em nós, o que leva à dissipação das redes da matriz de controle.
Quando colocamos a mão direita na testa e a esquerda no occipital, e dizemos o Mantra OKUKA BANAI ITI, estamos a lavar completamente o cérebro, a purificar o nosso cérebro, que é o 1º orgão a ser danificado pela matriz de controle.


OKUKA significa ”venham, estou aberto para que cheguem”
BANAI ITI - são os Filhos do Sol , os Elohim, os B´Nai Elohim
SHIBANA – quer dizer “purifiquem-me”
KIKI é energia
NAGUA é apaziguamento, gratidão, Paz.
OKUKA BANAI ITI
SHIBANA KIKI NAGUA
(Venham, venham, Filhos do Sol,
purifiquem-me com a Energia Superior.
Gratidão e Paz)
Há portanto 3 etapas, 3 níveis a apercorrer:
1º nível a vencer : saber que ESTAR DISTRAÍDO É SER POSSUIDO.
2º nível – praticar o coração: A AUTOREVERÊNCIA ANULA A MATRIZ DE CONTROLE
3º nível - o desapego das coisas criadas : PODER, É AQUILO QUE EMANA DO VAZIO.


O “vazio” é numa escala individual – o atingimento da serenização. Estar sereno, abre as portas para reinos puros e para a compreensão do Cosmos como algo a revelar. É um ponto de partida, não é um ponto de chegada.

Atingir a autoridade do pedido, é fundamental.
As Cidades Intraoceânicas guardam o Corpo Astral Pleiadiano , que é uma vibração de Sentimento, intenso, vasto, oceânico, ou seja, o verdadeiro Corpo Astral do Homem.
O Corpo Astral Pleiadiano pode agir profundamente sobre os outros, irradiando amor em todas as direcções.

Os elementais densos não gostam da autoreverência. Nós não temos carga astral para gerar fúria, por nós mesmos. Os elementais sim. A autoreverência fecha o campo vibratório aos elementais de baixa frequência. Não entram. Ou se entram, nós conversamos com ele, e eles vão-se embora.
90% do que pensamos, são elementais a trabalhar no nosso cérebro.
O AMOR é oceânico. O Corpo Astral Pleiadiano, são “ondas” em contacto com o Oceano Cósmico, guardado por um dos 5 Princípios Superiores.


Esses Princípios têm a ver com MAAT, AN, RA, PTAH. O 5º é METATRON.
Os 5 Princípios, são Mónadas Angélicas. Têm a ver com Sabedoria, Criatividade, Cura, Engenharia Cósmica, Libertação Suprema.
O 8ºRaio é o da CURA CÓSMICA
O 9º Raio é o da CRIATIVIDADE, ALEGRIA CÓSMICA, ARTE
O 10ºRaio é o da SABEDORIA, da TRANSMUTAÇÃO
O 11ºRaio tem a ver com COMUNICAÇÃO
O 12ºRaio é a LIBERTAÇÃO SUPERIOR.


Quando o Corpo Astral Pleiadiano se sobrepõe ao corpo físico, há uma transpiração radiante. Ele é azul-violeta, e entra em ressonância com os oceanos.
O nosso corpo astral é essencialmente azul eléctrico.
A sensação de que as tuas mãos e os teus pés não são teus, é indicadora da presença do Corpo Astral Pleiadiano.

ZMIR – é Luz em movimento, ONTHAR - é Amor, URUWINTEA - é o Vazio.
Esta informação é dirigida à parte do nosso Ser que sabe o que fazer com ela, não à personalidade.
É natural no entanto, que a nossa mente se interrogue até que ponto é possível vivenciar estas experiências.
Esta informação é uma concentração de realidades vinda do Conselho dos Nove, através de Ptah, para o nosso inconsciente profundo. Entra em nós e pode receber um aval maior ou menor da consciência divina, e vai para o inconsciente, onde vai ser metabolizada consoante o ritmo de cada um, para ser devolvida dentro de meses, à superfície da consciência. Um dia, produz “um salto quântico” de dentro para fóra. É dirigida ao psíquico que a vai “digerir”, e depois a alma pega nesta informação e de repente tudo faz sentido, ao re-emergir de dentro de nós mesmos.

MANTRAS PARA OS SELOS
ZMIR ONTHAR URUWINTEA – produz activação do Campo de Cura de ÓRION
A partícula UR, de invocação, nasce no centro do coração. É uma partícula de Fogo que atravessa a Pineal, e é disparada para o Cosmos.
As coisas não acontecem sem o nosso esforço.
Mesmo sabendo Deus as necessidades de cada m2 do Planeta Terra, a elevação da Terra e dos Seres é um acto de CO-CRIAÇÃO, e portanto a nossa parte do trabalho é absolutamente indispensável. Deus não vai fazer esse trabalho por nós. É CO-CRIAÇÃO e não adianta fugir a isto.
É preciso haver trabalho, alinhamento, pedido.
Funciona tudo nas sequências estabelecidas, até que a consciência sinta vontade de saltar etapas e “chegar lá”.

Quando o homem está na “Câmara da Ignorância”, existe uma Lei que diz que o Universo não pode perder nem mesmo os ignorantes, e portanto os pedidos “desalinhados” também são atendidos.
Mas para nós, agora, isso já não funciona assim, porque o Pai quer que os pedidos sejam atendidos dentro da “Câmara da Sabedoria”.

Como é que isso acontece?

É preciso dar tempo, energia própria e concentração, para gerar uma partícula UR.
Dez minutos de concentração dão uma intensidade, até que a energia acumula.
Quando um homem pára ( faz suspensão do fogo fricativo), o fogo Solar avança. Esse fogo Solar gerado pelo Coração começa a acumular-se até atingir intensidade e duração.
A seguir vem a diferença entre magia branca e magia negra. Negra, cinzenta ou Magia de Luz.
É nesse momento que se reveste aquela energia com um pedido, que pode ser um pedido dentro da Co-Criação.

Uma vez “revestida” a energia, fazemos com que esse fogo se erga acima da cabeça e seja “disparado” em direcção ao Alto. É na Pineal que o pedido é combinado com a Vontade.
A geração da partícula UR, faz parte da condição humana. O “ponto” é fazê-la passar pela Pineal.
A preocupação com o assunto tem de ir juntamente com a partícula. Depois o Divino trata dela.
Quando alguém vem pedir ajuda, está a reconhecer que não tem equilíbrio interno suficiente para fazer sózinho o pedido, e vem pedir-nos que o façamos por ele.


Os MANTRAS DOS CHACRAS, são os seguintes.
Chacra Frontal(Metatron) – IXIS INSIGNIAE
Chacra Laríngeo (Gabriel) – AXIS INSIGNIAE
Chacra Cardíaco (Melquizedek) – ONTHAR (3x)
Plexo Solar (Enoch/Ísis) – SEMIRAH SEMIRAH ON
2º Chacra - ZMIR SEMIRAH ON
O Mantra KODOISH, KODOISH, KODOISH, ADONAI TSEBAOTH, pode ser usado em vez de ZMIR ONTHAR URUWINTEA.
SELAH (3x) ou ADONAI – fecha os Chacras, um de cada vez. Corresponde aos 3 níveis da Árvore da Vida – a “casca”, o “miolo” e o “centro”.
http://www.iridia-lumina.org/cura%20orion%205.html
Publicada por Natálys Reys em 14:42
Etiquetas: André Louro de Almeida

Postagens populares

O Blog Filosofia Esotérica Brasil é de mesma autoria do Consciência Estelar, vote para melhor blog!

O QUE PROCURA? ACHE POR AQUI!