sábado, 29 de setembro de 2012

As relações entre os filhos dos Deuses e as filhas dos homens nos relatos do Antigo Testamento



Quando os homens começaram a se multiplicar sobre a face da tera e lhes nasceram filhas, os FILHOS DE DEUS * viram que as filhas dos homens eram formosas e tomaram como mulher todas as que lhes agradaram. E então disse o Senhor, "Meu espírito não terá força indefinidamente sobre o homem, pois este na verdade é só carne. E os seus dias serão cento e vinte anos." Ora, naqueles tempos, os Nefilim habitavam sobre a terra, e também depois, quando os Filhos de Deus se uniam às filhas dos homens e estas lhes davam filhos : estes forma os heróis dos tempos antigos, os homens de renome.

GÊNESIS 6, 1-4

Há milênios essa história tem escandalizado os leitores da Bíblia, e não sem motivo, ela parece ir contra a natureza do nosso entendimento tradicional da religião bíblica.
Se alguém lhe pedisse para identificar a origem de uma história sobre deuses que tomam esposas humanas e dão origem a uma raça de heróis semidivinos, você provavelmente diria que seria um mito grego, escandinavo, ou indiano, mas jamais pensaria se tratar de uma história BÍBLICA!
Ma a história existe, e talvez seja a nossa compreensão tradicional que esteja errada.
No passado muitos estudiosos rejeitaram a história como sendo uma espécie de aberração bíblica.
Se alguém lhe pedisse para identificar a origem de uma história sobre DEUSES que tomam esposas HUMANAS e dão origem a uma RAÇA DE HERÓIS SEMIDIVINOS , sua respotas poderia ser, é um mito grego, ou , talvez, uma lenda nórdica, ou , então, um conto popular africano ou indiano. Sem duvida esta história não poderia vir das escrituras sagradas do judaismo e do cristianismo. ... MAS... é mesmo esta a fonte de tal história.

No passado muitos estudiosos bíblicos simplesmente rejeitaram a história como uma espécie de aberração bíblica. Os primitivos comentaristas judeus e cristãos também se mostraram perplexos com esta passagem. E como ela já estava estabelecida no texto sagrado , a unica forma de evitar as desagradaveis implicações de deuses e humanos se unindo e tendo filhos seria arranjar uma interpretação que a tornasse mais aceitável. Assim os antigos rabinos entendiam que a expressão BENE HA'ELOHIM não se referia aos "filhos de deuses", mas a "homens honrados". Os padres da igreja por sua vez a interpretavam como uma referencia a SETE, que nasceu de Adão e Eva DEPOIS que Caim matou Abel ( " tornou adão a conhecer sua mulher e ela deu a luz um filho a que deu o nome de SETH, porque disse ela , deus me concedu outro descendente em lugar de abel, genesis 4,25 )
Desta forma tanto os antigos interpretes judeus como os cristão evitavam o problema das implicações POLITEISTAS sugeridas na passagem biblica.
Porém nenhuma destas interpretações antigas tem qualquer prova a apoia-las . Elas simplesmente mostram como os antigos EXEGETAS tentavam suavizar o trecho problemático.
E nós hoje em dia? como devemos entender a história ?
Deuses amorosos
belas mulheres
sexo
maldições
e fama
Eis aqui todos os elementos de uma novela de sucesso, com motivos míticos incluidos como moderação.
Estudemos a questão :

1- vamos estabelecer a identidade dos "FILHOS DE DEUS " ( em hebraico BENE HA'ELOHIM) são conhecidos de vários textos da biblia hebraica, em Jó 1,6 e 2,1, os filhos de deus se apresentam a jeová na divina assembleia celestial, mais adiante, em jó 38,7, vemos que --os filhos de deus estiveram ao lado de jeova na CRIAÇÃO DO MUNDO, quando veem a obra de deus "rejubilavam os filhos de deus ".
Eles aparecem também na forma hebraica BENE 'ELIM na assembleia divina de jeova no salmo 89,7, onde se proclama "sua incomparabilidade entre os deuses ", e no salmo 29,1 onde os filhos de deus (bene 'elim) tributam gloria ao senhor.
E a mais curios referencia se faz no famoso cantico de moises, no deuteronomio 32, justamente antes de ele subir ao monte nebo para morrer sem ter entrado na terra prometida.
O deuteronomio 32,8 contém o que aparentemente é uma velha referencia mitológica a primitiva história da humanidade. O texto hebraico tradicional diz : " Quando o altissimo partilhava as nações, quando separava os filhos dos homens uns dos outros, ele fixou as fronteiras dos povos segundo o numero dos FILHOS DE ISRAEL "
O sentido desta frase é razoavelmente claro até chegar a ultima expressão. Como se poderia estabelecer as fronteiras dos povos ( incluindo as nações não israelitas) segundo o numero dos "filhos de israel" ? Já existia então Israel? Ainda não, de acordo com o sentido do texto. Há algo errado nessa passagem, o final está em contradição com o inicio.
A contradição não aparece em todas as Bilbias, contod na RSV - versão revisada padrão - por exemplo, o deuteronomio 32,8 diz que as fronteiras dos filho dos povos são fixadas não conforme o numero dos filhos de israel, mas ism conforme os numeros dos FILHOS DE DEUS.
Essa redação se baseia na SEPTUAGINTA GREGA, uma tradução da bilia feita no seculo III ANTES de cristo para os judeus de Alexandria que não sabiam ler o hebraico. Os modernos tradutores da RSV concluiram que , neste caso a septuaginta, e não o texto hebraico aceito ( o texto MASSORÉTICO), preservou a redação ORIGINAL. já nas traduções da biblia fieis ao texto hebraico aceito aparece --filhos de israel-- em lugar de --filhos de deus--.
Pois bem, descobriu-se recentemente que um texto fragmentário entre os manuscritos do mar morto continha o deuternomio 32,8 composto com escrita do final do periodo herodiano (fim do século I a.c. ao inicio do seculo I d.c.) esse fragmento é hoje o -- mais antigo texto HEBRAICO do deuteronomio 32,8 conhecido -- nesse fragmento as ultimas palavras dos versiculo são claramente --OS FILHOS DE DEUS-- e não filhos de israel.
Esta redação preservada em grego na septuaginta, mas não no texto hebraico consagrado, é então obviamente a REDAÇAO ORIGINAL AUTENTICA.
De acordo com este estudo aprofundado constatamos que os FILHOS DE DEUS, não apenas estavam presentes no inicio do mundo, mas também figuram de forma importante na divisão das nações.

----De acordo com oversiculo subsequente, jeova escolheu israel como sua propria porção, dando a entender que cada uma das outras divindades, os FILHOS DE DEUS, também receberam uma nação para governar !---
Desta forma a divisão de cada nação conforme os filhos de deus, faz sentido, podemos ver nessa passagem uma indicação de que houve um tempo em que os filhos de deus tiveram um papel bem mais importante na primitiva história da humanidade do que em geral ficou preservado nas tradições biblicas.
Se quisermos um relato ainda mais antigo sobre os filhos de deus, devemos procurar fora da biblia hebraica. Como acontece com muitos outros elementos das tradiçoes religiosas de israel, a origem do conceito de filhos de deus pode ser buscada nas tradições CANAANITAS do século XIV a.c. ( já a 1500 anos antes de cristo) gravados em escrita cuneiforme em placas de argila. descobertos em 1928 na antiga cidade de UGARIT, no litoral sirio , esses textos proporcionam uma riqueza de informações sobre a sociedade, a religiao e as tradições narrativas de canna no periodo anterior ao nascimento de israel.
Nos mitos, epopéias e textos rituais de Ugarit, a expressão -os filhos de deus-- ( banu ili ou banu ili-mi) ocorre com frequencia. No panteao canaanita, o deus principal é EL, cujo nome significa literalmente --DEUS--. Ele e sua mulher ACHERÁ, são O PAI e a MÃE dos DEUSES .
A expressão -os filhos de deus- pode ser traduzida literalmente como -- os filhos (ou descendentes ) de EL.
Os bene1elim são encontrados não somente nos textos de ugarit, mas também em inscrições fenicias dos século VIII a VII a.c. e numa inscrição AMONITA do século IX a.c., recentemente descoberta em amã, jordania.
Assim, o conceito de filhos de deus está presente nas tradições acanaanitas durete um periodo bastante extenso.

O uso da expressão pelos israelitas tem sua origem no acervo do conhecimento tradicional herdadeo os canaanitas. Na tradição israelita, os filhos de deus são as divindades menores que acompanham JEOVA na sua assembleia celestial.
Sua esfera de atividade é restrita, em comparação com seus antepassados canaanitas, e isto se deve ao fato de JEOVA, no CULTO ISRAELITA ter reunido as funçoes essencias dos OUTROS deuses.
Conclui-se indubitavelmente que JEOVÁ é UM DOS FILHOS DE DEUS, mas que depois foi elevado por um povo especifico ao cargo de DEUS SUPREMO .... ( e unico) ....
Apenas em alguma passagens se da destaque as atividades dos FILHOS DE DEUS, e estas passagens refletem tradiçoes bastante antigas.
Na verdade elas se enquadram perfeitamente nos textos mitológicos de UGARIT com a unica diferença de que o DEUS PRINCIPAL é JEOVÁ e não EL !!!

Agora vamos passar para os filhos de deus e sua descendencia, resultante de sua união com as filhas dos homens, como descreve o genesis 6,1-4.
Note como está claro que estes DESCENDENTES descritos no genesis, são mencionados como NEFILIM, que são descritos como -- HERÓIS DOS TEMPOS ANTIGOS -- homens de renome. Mas quem são os nefilim?
Nefilim, literalmente significa , OS CAÍDOS, sendo um eufemismo comum para - OS MORTOS - , em jeremisas 6,15 "eles cairão entre os que caem" , em ezequiel 32,27 temos os nefilim como guerrreiros que cairam :
" eles jazem com os guerreiros
os nefilim dos tempos antigos,
que desceram ao xeol ( sepulcro)
com suas armas de guerra

Em outras partes da tradição biblica , os nefilim são descritos como GIGANTES, que eram os habitantes nativos de CANAÃ
No deuteronomio 2,11 os gigatnes ENACIM descendentes dos NEFILIM também são chamados de RAFAIM, um termo mais geral paraq os habitantes nativos de canaã de elevada estatura.
Dois dos mais conhecidos entre os rafaim são o rei OG, cujo imenso leito de ferro ainda podia ser visto em rabá, do povo de amo, e o gigante GOLIAS descrito como descendente de rará em gate....
os NEFILIM portanto parecem ter sido uma RAÇA DE HEROIS que viveu antes do diluvio e também em canaa , quando os sraleitas ainda não haviam conquistado a terra prometida.
Por este tempo os nefilim acabam , como o nome sugere, como os MORTOS.
Diz-se que os refaim e enacim foram exterminados por josue , moises e caleb, embora restassem alguns desgarrados que seriam mortos por davi e seus homens....
josue nos diz em 11, 22 que -- nenhum dos enacim sobrevieu na terra de israel, somente em gaza, em gate e em asdode alguns sobreviveram.
A função dos nefilim-rafaim-enacim , os GIGANTES SEMIDEUSES , é constante em todas essas tradições. Eles existem para serem aniquilados, pelo diluvio, por moises, por davi e outros, na tradição israelita, os nefilim tem uma funçado de MORRER .
como o significado real de nefilim é os caidos, a conexao entre a morte e os nefilim parece ser fundamental para varias formas da tradição.

O que se nota é que, além de JEOVA ter sido UM dos FILHOS DE DEUS, tornou-se O PROPRIO DEUS para a TRADIÇÃO CRIADA PELOS ISRAELITAS, os OUTROS FILHOS DE DEUS, se tornaram secundarios, menores, e certamente a tradição israelita dona do SEU deus , chamado jeova, tratou de EXTERMINAR com estes DEUSES MENORES, ou agora SEMI-DEUSES, ou semi-divinos, ou sobre-humanos....
assim o heroi DAVI mata o TITÃ GOLIAS....
no final das contas começamos a vislumbrar sempre aquelas raizes MITOLOGICAS semelhantes a todos os povos, com um PANTEÃO de DEUSES, e podemos notar o fenomeno bem humano que ocorre quando todos os deuses são suprimidos, mas um dos já existentes é mantido até se tornar o DEUS ÚNICO.
Parece que na versão original da história do acasalamento em genesis 6,1-4, os nefilim foram destruidos pelo diluvio, mais exatamente foram a sua causa !
Vejamos a lenda mesopotamica do diluvio que tem muita relação com a historia do diluvio registrado na biblia.
Na lenda mesopotamica, o motivo dso deuses para o diluvio, é um desequilibrio cosmico entre o mundo humano e o mundo divino , o primeiro esta superpovoado e os deuses naão conseguem dormir por causa do barulho.

... as pessoas se multiplicavam , a terra berrava como um touro.
os deuses ficaram irritados com a gritaria,
enlil ouviu o barulho da terra.
ele se dirigiu aos grandes deuses :
- o barulho da humanidade é demais para mim, seu vozerio não me deixa dormir....

Naqueles tempos primevos, segundo acreditavam os babilonicos , os humanos viviam eternamente, o que provocou superpopulação, as pessoas podiam morrer me virtude de violencia ou fome, mas a morte natural ainda não havia. ( note que a biblia também relata este tipo de crença, em pessoas que viviam centenas de anos) Enlil determina o diluvio, que eliminara todos os humanos e resolvera o problema do barulho, a solução final de Enlil.
No entanto , o ardiloso adversario de Enlil, o deus ENKI, tenta frustrar o seu plano e alerta um homem " extremamente sábio" chamado ATRÁXIS para construir uma arca para si e sua familia, juntamente com um grupo de animais , para se salvar da inundação.
Quando as aguas bsaixam, tendo atraxis e sua familia sobrevivido, os deuses enlil e enki procuram um entendimento e finalmente chagam a uma solução conciliatória, sugerida por enki, qual seja, o controle do crescimento da população humana, a partir de então as pessoas morreriam de morte natural.
A morte passa a ser o DESTINO da humanidade.

Na história do genesis 6,1-4 , a resposta divina ao desequilibro cosmico representado pelo acasalamento dos filhos de deus com as filhas dos homens, da mesma forma , é a limitação do tempo da vida humana : " meu espirito, não terá força indefinidamente sobre o homem , diz, jeová em genesis 6,3 , pois este na verdade é só carne. e os seus dias serão 120 anos."
Comparando os mitos e toda as informações, temos a impressão que na primitiva tradição israelita, o motivo para o diluvio foi a destruição dos nefilim, pois o fato de que os filhos de deus se uniram as filhas dos homens gerou um desequilibrio cosmico com os SEMI-DIVINOS que apareceram. A conclusão natural do genesis 6,1-4, de acordo com a lógica do mito é o DILUVIO , o desaparecimento da humanidade e a simultanea aniquilação da desordem...
Após o diluvio surge uma nova ordem.
No genesis que chegou até nós , todavia, a conclusão do antigo mito foi alterada. O diluvio não é mais provocado pela união dos filhos de deus com as filhas dos homens, a conclusão domito foi SEPARADA da narrativa do diluvio, EMBORA ela venha imediatamente a seguir, começando em genesis 6,5-8, e um novo motivo é colocado no relato biblico. O motivo em genesis 6, 5-8 é o CRESCIMENTO da maldade do homem sobre a tera, e não o crescimento da população ( como no mito babilonico) ou a união dos deuses e mortais ( como no mito preservado em parte em genesis 6,1-4).
Note o paralelo que ocorre no inico do mito do genesis 6,1-4 : -- quando os homens começaram a se MULTIPLICAR sobre a face da terra ( genesis 6,1) e no diluvio : -- viu o senhor que a maldade dos homens se MULTIPLICAVA sobre a terra .....

A terminação original da história do genesis 6,1-4 esta truncada na sua sequencia lógica --o diluvio que viria para eliminar o desequilibro cosmico de deuses se unindo com os humanos -- transformou a historia dos filhos de deus tomando esposas entre as filhas dos homens simplesmente num exemplo de inclinação do homem para o mal.

O que se percebe é uma rede de novas histórias criadas como resultado de uma transição entre um estado primitivo de coisas para uma situação MODERNA.
Esse ciclo de histórias se introduz nas histórias dos patriarcas e na narração da aliança entre JEOVÁ e ISRAEL.
O ciclo primevo no genesis se caracteriza por uma série de transgressões mitológicas dos limites, que provocam um conjunto de respostas divinas. Aos poucos, essas respostas vão construindo uma nova ordenação do cosmos.
A mistura de deuses e mortais no genesis 6,1-4 é refletida na mistura do divino e humano na história do jardim do éden, na qual os humanos desejam -ser como deuses, conhecedores do bem e do mal-, que é um outro desequilibro cosmico.
em consequencia adao e eva são expulsos do paraiso.
Da mesma forma a torre de babel , onde os humanos querem construir uma torre que chegue ao topo dos céus e são punidos por deus com a confusão de linguas, os limites entre o divino e o humano também são rompidos e o resultado é a decretação dos laços da vida humana em cento e vinte anos.
O padrão básico persiste.
As histórias continuam numa forma dialética, gerando oposições e resolvendo-as , esboçando o tempo todo a transição de uma NATUREZA MITICA para uma CULTURA HUMANA, de uma era em que os humanos vivem nus e são imortais para uma era de roupas, mortalidade, trabalho pesado e nações - a era do mundo atual.

O genesis 6,1-4 se ajusta perfeitamente a esse contexto - a repetição de transgressões mitológicas dos limites e a lenta construção da limitação do mundo humano.


Artigo extraído do site: http://www.cientifica.50megs.com/arqueologiahtm/marmorto13.htm

Postagens populares

O Blog Filosofia Esotérica Brasil é de mesma autoria do Consciência Estelar, vote para melhor blog!

O QUE PROCURA? ACHE POR AQUI!