sexta-feira, 4 de maio de 2012

Perigos do contatismo e da abdução & Ufologia - nome que se dá a cada um dos artigos

As informações sobre as raças extraterrenas são, muitas vezes, desencontradas. Os seres humanos não sabem as razões das consecutivas visitas ao planeta terra. Então muitos filósofos relacionam estas aparições à coisas do nosso cotidiano, que estamos acostumados. Ao nosso passado, por ser fato e transfere o conhecimento que se tem de si próprio para o fenômeno ufológico.

O que este autor quer dizer é que não existe uma via concreta e material. Um canal de comunicação real que permita saber as reais intenções de uma visita ao planeta. Então daí, decorre o perigo real de um contato com algo desconhecido. Não se sabe o que você poderá trazer de problema para sua vida futura e se é que permanecerá em estado de saúde físico-mental para contar o que passou, ou que pelo menos pressupõe ter passado.

No contatismo, existe certo envolvimento emocional com estes seres. As vítimas vão perdendo o contato com a realidade. Em alguns casos, não poucos, são levadas por si mesmas, ao isolamento da sociedade e, por fim, acabam se convencendo que serão resgatadas após um rápido suicídio.

Em outros casos de contatismo, a mente dos contatados se tornam brilhantes e começam a expor coisas e abstrações até então inovadoras, chamando a atenção de muitos outros pesquisadores e curiosos. Há uma tendência também à elevação da espiritualidade, ao ponto de se chegar ao extremo de ignorar a vida presente. A pessoa passa a se preocupar cada vez mais em uma "nova existência" deixando de lado seus familiares e amigos.

Na abdução, um indivíduo, quando encontrado, costuma apresentar um quadro crítico de transtorno ou de atordoamento. Noutros, simplesmente a mente não recorda do tempo no qual permaneceu sumido, mas o organismo biológico reage com uma certa inquietude e lapsos de memória são sentidos nos primeiros dias e até seis meses após o ocorrido. Muitos procuram a medicina e fazem sessões de hipnose para resgatar a inquietude que as persegue.

Existem casos em que os abduzidos voltam com marcas de agressão no corpo. Marcas cirúrgicas. E objetos infiltrados na pele chamados de implantes. A maioria destas pessoas faz uma cirurgia para retirada destas peças desconhecidas no qual atribuem ter inquietudes, dores de cabeça e sintomas adversos, que vão desde uma enxaqueca até mal estar súbito.

É fato que o real propósito destas visitas é oculto. E quantas civilizações estão vindo nesta direção para fazer seus experimentos também é incerto. Então, a melhor forma mesmo é desejar não ser "molestado" e relatar sempre que possível para as autoridades que alguma coisa está acontecendo de errado na localidade que você mora, para que as medidas de prevenção possam ser tomadas.

"Seres Benevolentes" é muito bom quando se trata de um livro de ficção científica. Nenhuma raça é 100% boa. Todas têm seus interesses particulares e algumas devem estar lutando entre si para conseguir a hegemonia deste e de outros territórios ou mundos dimensionais. Essa argumentação anterior foi tirada de nossa própria filosofia, mas como foi dito no texto acima, nada se sabe de fato, pois tudo é especulação.

Atrapalha muito a percepção dos fatos é a "crença" que o "contatato" e o "abduzido" têm que carrega algo especial e que literalmente está por "cima" recebendo informações privilegiadas ou que é alvo de perseguições de demônios controlados por "satanás" exercendo seu poder aqui na terra.

A crença é muito diversificada, mas existe um padrão de acordo com a natureza do acontecido: do religare, etnia, povo e nação em que a "vítima" pertence. Convém notar também que muitos relatos são falsos, mas isto não é o caso deste texto que prefere dar crédito apenas àqueles cuja explicação científica é incapaz de revelar sua inexatidão.

Se seus sonhos estão muito turbulentos e marcas começarem a aparecer em seu corpo, não se desespere. Procure um médico. Tire uma chapa de radiografia para verificar se existe algum corpo estranho em seu organismo e procure ajuda especializada em caso afirmativo.

Tentar resolver tudo por si mesmo é burrice. Então, não esqueça de procurar sempre uma ajuda especializada, como descrita no parágrafo anterior. Outro fator importante é não acreditar em hipótese alguma em informações do tipo: "As abduções são para o bem da humanidade", "Os contatos têm a missão de pacificar a Terra", "Os implantes melhoram o funcionamento de muitas funções orgânicas".

Não existem cientificamente provas que indiquem que essas sentenças acima são verdadeiras. Portanto, o objetivo não é claro: que leve alguém a ter que ter este tipo de contato com esses seres extraterrenos.

O perigo está no desconhecimento. Terráqueos são limitados cientificamente, mesmo que o conhecimento esteja avolumado em livros ou computadores. Não é conveniente que você corra atrás de informações que aumentem sua probabilidade de se tornar um "contatado ou abduzido". Não é sensato. A não ser que você queira fazer disto sua prioridade de vida. Mas já fique sabendo desde já quais as possíveis conseqüências; até mesmo vir a ser enganado por sinais que nada tinham a ver com sua perspectiva de conhecimento ou suas crenças sobre o assunto.

Não se sinta enganado se correu atrás, pois está sendo avisado com antecedência. É o risco que se corre por enfrentar o desconhecido, o enigmático - aquilo que é superior a você em grau de compreensão.

Quem são na realidade tais seres? O que querem? Por que nos visitam com freqüência? São hostis? O que pretendem com a raça humana? Por que fazem testes biológicos? Por que não aparecem de vez e selam amizade? Eles interferem na humanidade?

Só sei que ainda a humanidade terá que comer muito "arroz e feijão" para que tais respostas possam ser respondidas.

Autor: Max Diniz Cruzeiro
Publicado em 23/06/2009 pelo(a) Wiki Repórter LenderBook, Brasília - DF

LEIA AQUI: O início da era do contatismo alienígena - Portal da Ufologia

Ufologia

Nome que se dá a cada um dos artigos

Definologia. A Ufologia é a ciência que estuda os UFOs e os classifica em categorias, objetivando descobrir suas origens e as intenções dos tripulantes, caso sejam detectados.
Sinonimologia: 1. Ovnilogia.

Exobiologia. A Exobiologia ou Astrobiologia parece, mas não é, a Ufologia. Esse ramo da Biologia estuda a possibilidade da existência de extraterrestres na forma de microorganismos presentes ou vindos de outros planetas. Também cogita a existência de outros planetas, com ecossistemas próximos ao terrestre, possibilitando a vida, pelo menos dentro de nossos conceitos. Exemplo: haveriam microorganismos em Marte?
Vimanas. Em Parahistória, os discos voadores descritos nos antigos textos védicos indianos eram chamados de vimanas.
OSNIs. Em alguns grupos de estudos de UFOs, principalmente aqueles próximos a praias e ao mar, existem casos registrados dos assim chamados OSNIs, ou Objetos Submarinos Não Identificados, supostamente alocados em bases terrestres submarinas.
Observadores. Esses objetos podem tanto ser vistos por observadores nas praias (banhistas) quanto por observadores em barcos (tripulações).
Neologística. Ufografia é um neologismo técnico da Ufologia e indica fotos onde aparecem UFOs.
Taxologia. Historicamente, 2 grupos de ufólogos vêm atuando dentro da Ufologia:
  1. 1. Científicos. Muitos ufólogos científicos buscam estudar os OVNIs no aspecto da ciência convencional, muitas vezes, rechaçando e combatendo o misticismo e esoterismo, sem ao menos levar em conta a hipótese de existência da multidimensionalidade.
  2. 2. Místicos. Os ufólogos místicos ou esotéricos, que lidam com as características metafísicas da Ufologia, muitas vezes criando seitas e grupos de culto aos OVNIs.
Grau. O fato de uma consciência identificar-se como de origem extraterretre não a confere nenhum grau de evolução superior ou de sabedoria honrosa. Podemos trabalhar com a hipótese de que existem planetas mais atrasados e outros mais evoluídos do que a Terra.
Tecnologia. Pela Paratecnologia, vale mais o avanço nas paratécnicas por parte dos extraterrenos, de interesse mais a longo prazo ao ser humano, do que as técnicas intrafísicas aplicadas aos deslocamentos desconcertantes dos OVNIs que desafiam as leis da gravidade. Uma das paratecnologias de maior interesse para as pesquisas da consciência é o "Projeciotron".
Seitas. É comum no meio ufológico a existência de grupos e seitas, muitas vezes perigosas à saúde mental do participante, vítima de lavagens subcerebrais de inúmeras origens. Eis 2 exemplos:
  1. 1. Catastrofismo. O GER - Grupo de Estudos Ramatis pratica, de forma assídua, o catastrofismo apocalíptico, inoculando em seus participantes que os extraterretres estão alertando a humanidade para a entrada de um suposto astro ou planeta intruso que desestabilizará o sistema solar. Esses grupos se fortaleceram muito durante os anos precedentes à última virada de século, acreditando que o cosmos desestabiliza ou destrói planetas de acordo com o nosso calendário.
  2. 2. Instantaneidade. Existem grupos, a exemplo da Cultura Racional, que baseados em supostas mensagens extraterretres oferecem aos incautos seguidores a eliminação, em 1 só vida apenas, do ciclo das seriéxis neste planeta Terra. E mais: defendem que os UFOs são habitantes metamorfoseados do assim chamado "Mundo Racional". Isto implica num desconhecimento da multidimensionalidade e serialidade multirexistencial, assim como da hipótese mais lúcida da escala evolutiva elaborada por Vieira.
Transfiguração. Pergunta: o fenômeno da transfiguração do psicossoma poderia ser utilizado por assediadores extrafísicos (consciexes), a fim se passarem por extraterrestres, para inocular filosofices sectaristas e apocalípticas nas conscins acríticas?
Requisitos. Aqui ficam claros alguns dos pré-requisitos básicos para uma boa coleta de dados extrafísica sobre extraterretres: desassedialidade relativa, parapsiquismo lúcido, homeostase holossomática relativa e criticidade ou discernimentologia.
Destaque. Entre os ufólogos mais notáveis destacou-se Gal. Moacyr Uchôa ao levantar o assunto do incompletismo metodológico da ciência materialista frente aos novos casos da Ufologia, com destaque à Parapsicologia e as múltiplas dimensões da realidade, estudando os casos desconcertantes da Ufologia utilizando-se de todo arcabouço científico e racional necessário, porém não se limitando ao mesmo.
Desafio-mor. Aliás, esse vem sendo o desafio-mor de todo ufólogo: não ser um radical esotérico (fascínio grupal de seita totalitária) e nem um radical científico (fascínio pela ciência convencional totalitária).
Hiperespaço. Uchôa popularizou a expressão hiperespaço, ou seja, a dimensão extrafísica, no campo da Ufologia. Também foi pesquisador teático, tendo experiências parapsíquicas em atividade de pesquisa de campo.
Tentativa. No âmbito da Astronomia e da Intrafisicologia , a tentativa mais notória tem sido a do Projeto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) onde se posicionam imensas antenas receptoras de sinais cósmicos com o objetivo de processá-lo e identificar alguma codificação inteligente contida neles, provando dessa forma a existência de uma civilização extraterrestre.
Escala Rio. Para quantificar o impacto de uma futura captação de mensagem extraterretres pelo Projeto SETI foi criada a Escala Rio, que utiliza 3 variáveis (tipo de contato; método da descoberta e distância) e indo do valor 3 (menos impacto) ao valor 13 (mais impacto).
Brasil. No âmbito da Parageografia, o Brasil, nas últimas décadas, vem se destacando no cenário mundial como potência dos OVNIs, ou seja, a incidência de casos ufológicos, incluindo os mais bizarros como o "chupa-cabras", vem sendo constante e de certa forma altíssima.
Revista UFO. Dentro da Comunicologia, em 20 anos de existência, a Revista UFO, chegou a 93 edições em 2003, é o principal veículo periódico de abrangência nacional e internacional sobre o assunto.
Casuística. A Ufologia tem se destacado até hoje, devido a sua pouca idade (fundada em 1947), mais pelas casuísticas puras e simples (relatos, fotos, depoimentos) do que pela análise aprofundada e interdisciplinar através de por exemplo, um Tratado de Ufologia. Destacam-se nessa área as enciclopédias sobre UFOs compiladas pelos autores estadunidenses.
Escala. A escala de contatos com UFOs tem como parâmetro principal a distância entre o observador e o objeto observado. Eis a seguir, como exemplo, a escala criada por J. Allen Hynek:
  1. 1. CEI: avistamento muito próximo, menos de 300 metros, sem efeitos no meio ambiente a não ser o trauma sofrido pela testemunha.
  2. 2. CEII: traços físicos deixados no local de avistamento de UFO, incluindo seus efeitos em animais e material inanimado.
  3. 3. CEIII: contato direto com os ocupantes de um UFO.
  4. 4. CEIV: abdução ou sequestro do ser humano para dentro do UFO.
Contatismo. O estudo, sem distorções, do contatismo parapsíquico e do contatismo físico, incluindo as abduções físicas e extrafísicas, tem sido os meios mais eficazes para se ampliar e aprofundar o estudo da Extraterrestriologia. Neste ponto vale destacar:
  1. 1. Controvertidos. O contatismo consciente, do médium ou parapsíquico lúcido, tem sido fonte rica de dados, porém muitas vezes controvertidos perante a soma de informações conflitantes, que não se encaixam, deixando o ufólogo por vezes perdido ante a multidão da fatuística multifacetada.
  1. 1. Hipnose. A hipnose tem sido recurso largamente utilizado, e extremamente controvertido, na coleta de informações acerca das abduções humanas por extraterretres. O fato que tem gerado ressalvas é a possibilidade que o hipnotizador tem de influenciar o depoimento do hipnotizado, muitas vezes chegando ao ponto de incluir falsas memórias no repertório cerebral da vítima.
Espiritismo. No Livro dos Espíritos, escrito por Allan Kardec no capítulo Pluralidade dos Mundos Habitados, evidencia-se o interesse das consciexes já no século XIX, no esclarecimento das massas a respeito da existência dos extraterretres. Porém, ainda hoje, pouco se aborda sobre o assunto.
Marte. Ainda no Espiritismo, foi psicografada por Hercílio Mães, em 1955, a curiosa obra A Vida no Planeta Marte e os Discos Voadores, atribuída a consciex de nome Ramatis, onde é desenvolvida em detalhes ao longo de 538 páginas todos os aspectos do cotidiano das "consciências marcianas". Ramatís conta que a sociedade relatada seria comparada ao que o planeta Terra será no ano de 2450.
Aspectos. Eis alguns aspectos abordados no livro: casamento, família, infância, educação, idioma, religião, medicina, alimentação, esporte, música, trabalho, comércio, indústria, energia, edificações, governo, transportes entre outros.
Crítica. Apesar deste esforço Parantropológico, no âmbito científico, torna-se fundamental a crítica constante e o questionamento sobre quaisquer fontes literárias, principalmente, no caso das psicografias.
Projeção. O ideal, no caso das descrições de livros psicografados é o próprio pesquisador eliminar o intermediário, no caso, a su hipótese da consciex autora, e projetar-se com lucidez para fora do soma, a fim de verificar os parafatos relatados.
Medo. Em Psicossomática, é comum observar no ufólogo científico tradicional uma certa aversão ou mesmo medo de encarar frente a frente um extraterretre, mesmo quando tem a oportunidade de realizar a façanha ao vivo. Nesse ponto, a desculpa que se usa é a suposta neutralidade que o pesquisador deve manter quanto ao objeto de pesquisa. Aqui vale o contraponto: a técnica da entrevista é uma eficaz técnica de pesquisa em ciência.
Equívocos. É muito comum a observação equivocada de um fenômeno conhecido e pela ignorância do observador confundi-lo com um UFO. Eis a seguir, em ordem alfabética, 7 tipos de equívos mais comuns em Ufologia:
  1. 1. Balões. Pensar que um balão de festa junina ou meteorológico é um UFO.
  2. 2. Meteroritos. Pensar que o meteorito caindo é um UFO.
  3. 3. Nuvens. Confundir certos tipos de nuvens com UFOS.
  4. 4. Raios. Confundir UFO com um raio-bola (fenômeno raro).
  5. 5. Satélites. Confundir satélite artificial (no amanhecer e no entardecer) com UFO.
  6. 6. Veículos. Pensar que um avião ultramoderno é um UFO.
  7. 7. Vênus. Confundir Vênus com UFO.
Ampliação. Perante a Conviviologia, urge desenvolver com clareza a Ufologia utilizando o parapsiquismo lúcido e ostensivo e ampliá-la a fim de se chegar à Parassociologia, muito mais providencial e universalista. O ufólogo, amante dos UFOs, mais atento, transforma-se no parassociólogo, amante das consciências multiplanetárias, das socins e sociexes.




Questões

  1. 1. Qual a importância da Ufologia nas pesquisas da Conscienciologia?
  2. 2. Qual o nível de Mateologia na Ufologia?
  3. 3. Este tema é realmente prioritário?
  4. 4. E se os UFOs existirem mesmo. Há alguma implicação relevante e aplicável para a evolução na Terra hoje?



Infografia Específica:

  1. 1. Knapp, Stephen; UFOs and Vimanas; http://www.stephen-knapp.com/ufos_and_vimanas.htm.
  2. 2. Revista UFO; http://www.ufo.com.br/

Bibliografia Específica:

  1. 1. Granchi, Irene; Alerta para Identificação (Confusões entre UFOs e fenômenos naturais); OVNI Documento; Revista; Trimestral; N. 4; Rio de Janeiro, RJ; Julho/Setembro, 1979; página 3.
  2. 2. Granchi, Irene; Nossas Metas (Definições de UFO e Escala Hynek); OVNI Documento; Revista; Trimestral; N. 1; Rio de Janeiro, RJ; Outubro, 1978; página 1.
  3. 3. Mães, Hercílio; A Vida no Planeta Marte e os Discos Voadores; Psicografia de Ramatís; 538 p.; 29 caps.; 21x14 cm; br.; 13a. Ed.; Editora do Conhecimento; Limeira, SP; 2000.
  4. 4. Nogueira, Salvador; Escala Rio avaliará Contato Extraterrestre (Projeto SETI); Folha de São Paulo; Jornal; Diário; Seção: FolhaCiência; 1 fichário; 1 foto; 1 gráf.; São Paulo, SP; 05.10.2000; página A 20.
  5. 5. Uchoa, Moacyr; Dimensões Superiores na Pesquisa Ufológica; OVNI Documento; Revista; Trimestral; N. 4; Rio de Janeiro, RJ; Julho/Setembro, 1979; páginas 2 e 3.
Extraído de: http://pt.conscienciopedia.org/Ufologia
Não acredite em nada, nem mesmo nas informações contidas AQUI!
Tenha suas próprias experiências.
VOCÊ É LIVRE! VOCÊ É SEU GUIA!
ESCUTE O SEU CORAÇÃO!

Postagens populares

O Blog Filosofia Esotérica Brasil é de mesma autoria do Consciência Estelar, vote para melhor blog!

O QUE PROCURA? ACHE POR AQUI!