quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Queridos Seres de Luz!

Na Quinta Dimensão os relacionamentos estarão baseados na compatibilidade de almas e isto será sentido através do mesmo magnetismo, das mesmas qualidades espirituais e emocionais.

Esses encontros acontecem pelo fato de terem o mesmo ideal espiritual, o que chamamos de missão, e depois percebem que gostam dos mesmos assuntos, se sentem imensamente felizes juntos, possuem bom humor e não há sentimentos de raiva, ódio ou rancor um pelo outro. Essas almas sentem que se desenvolverão juntas e procuram obter uma elevação cultural e intelectual, porque sabem que estão unidas por uma consciência superior.

Existem nesses relacionamentos diálogo, respeito e planos para o futuro, intuição e desejo puro, uma harmonia de espírito, intelecto e conquistas.

Tudo entre essas almas é muito intenso e através do contato físico alcançam a libertação cármica e a evolução espiritual. São tão unidas que chegam a ter o mesmo sentimento em relação a vida, mas cada uma com a sua personalidade, e se amam como realmente são. São companheiras, se protegem, mas não tentam consertar ou controlar o modo de vida do outro, apenas ajudam a resolver seus conflitos mais íntimos, pois se entristecem com a tristeza um do outro.

São verdadeiros amigos e se sentem felizes quando estão juntos, criando um mundo particular, onde nada externo poderá interferir ou separá-los.

Essas uniões estão surgindo para servir ao planeta em profunda harmonia e suas almas e energias estarão se apoiando no equilíbrio entre o ying e o yang, a fim de criarem um caminho para as Dimensões Superiores.

Esse perfeito equilíbrio vai se refletir nas uniões sexuais do casal, que serão baseadas no espírito de forma prazeirosa e alegre, onde aprenderão a usar o sexo como uma forma de permanecerem jovens e saudáveis.

O sexo voltará a ser sagrado e os segredos da alquimia sexual retornará ao conhecimento de todos.

Na Nova Terra, todos os casais unidos pela alma terão a oportunidade de vivenciarem um casamento sagrado, onde aprenderão a unirem suas energias até tornarem-se um, encarnando o Deus e a Deusa na manifestação do Amor Divino e trazendo luz para o planeta Terra.

Na quinta dimensão o masculino e o feminino existem em perfeita harmonia e como iguais, em equilíbrio, aceitação e amor.

A magia do toque é uma expressão de amor divino, então procurem usá-lo como uma expressão de amor e comunicação, a fim de fortalecerem seus relacionamentos e descobrirem o quanto receberão em troca…

Com o equilíbrio da energia masculina e feminina haverá mais compreensão das necessidades e dos desejos de cada um e seus corpos terão a capacidade de se comunicarem de um modo mais belo.

Por isso é importante o toque, porque ao se tocarem estarão ousando fazer a diferença em suas realidades, começando com a própria felicidade nos relacionamentos, pois dessa forma, não haverá mais sombra no planeta Terra.

Busquem dentro de vocês seus anseios de alma, deixem seus sonhos se tornarem realidade, abram seus corações para o verdadeiro amor, tratem-se com respeito e sejam infinitamente felizes…

Fiquem na luz.

CARMEN ARABELA

fonte: http://carmenarabelablog.wordpress.com/2009/04/23/os-relacionamentos-na-quinta-dimensao/

OS PASSOS PARA A CIDADANIA GALÁCTICA


Sasha, através de Lyssa Royal Holt


Aqui fala Sasha.

Há algumas idéias que gostaríamos de compartilhar com vocês agora. Têm relação com a idéia de contato, pois esse parece realmente ser um tema para esta noite. Gostaria de lhes contar uma pequena história; alguns de vocês já devem ter ouvido partes dela.

CONTATO COM O CONSELHO DE ANCIÃOS DA TERRA

Parte do meu trabalho e de minha responsabilidade consiste em ir com uma equipe a planetas que estejam prestes a entrar na família galáctica. Minha responsabilidade é dar assistência a esses planetas para preparar as suas boas-vindas à comunidade galáctica. Nos últimos anos, esse contato está ficando cada vez mais próximo, então tenho tido um grande número de interações aqui, em especial nos últimos dois anos. No entanto, existe algo parecido com uma lei ou protocolo galáctico que diz que quando uma espécie extraterrestre está para entrar em contato com um planeta que ainda não foi introduzido na comunidade galáctica, ela deve passar por certos canais.

Nosso primeiro passo é entrar em contato com os anciãos do planeta, ou Conselho de Anciãos. O Conselho de Anciãos é composto da espécie ou civilização mais antiga de qualquer dado planeta. No caso de vocês, tivemos de entrar em contato com dois grupos diferentes. O primeiro é o reino cetáceo, pois seus membros representam a espécie mais antiga do seu planeta. Há um conselho cetáceo formado de vários anciãos de tribos cetáceas. Também precisávamos fazer contato com o Conselho de Anciãos de seu reino humano. Nesse caso, são as civilizações conhecidas por vocês como nativas de seu mundo, então seriam os aborígines, indígenas americanos, africanos e assim por diante. O Conselho de Anciãos existe num nível superior ao físico, ou seja, esse conselho não se reúne necessariamente no plano físico, e sim nos níveis dimensionais comuns a todos esses seres distintos.

Esse Conselho de Anciãos é responsável pela tomada de decisões de natureza planetária, principalmente quando qualquer tipo de interação e introdução extraterrestre na comunidade galáctica esteja prestes a ocorrer. Então, nós (quando digo “nós” me refiro a meu povo, não apenas a mim) temos estado em contato com esse Conselho de Anciãos desde a década de 1930 mais ou menos, chegando de vez em quando e dizendo: “Certo, sabemos o que vai acontecer neste século,” “Quando vai acontecer?” e “Já estão prontos?” O Conselho de Anciãos responde: “Não, não, não; ainda não.” Contudo, quando seu planeta desenvolver a capacidade de se autodestruir, será como um sinal de alerta dizendo, bem, está chegando a hora, pois a civilização deve entrar na comunidade galáctica ou se destruir.

Quando vocês desenvolveram essa capacidade atômica, pediram-nos para averiguar com mais freqüência. Nos anos de 1950, era chegada a hora de iniciar esse programa de contatos de maneira mais direta. Deram-nos permissão — não apenas os pleiadianos, e sim muitas, muitas pessoas dentro da Associação de Mundos — para entrar em contato com o que vocês acreditam (isto é importante) ser as estruturas de poder. Nos anos de 1950, a população acreditava que as maiores estruturas de poder eram as dos Estados Unidos e da União Soviética. Então, seres da Associação de Mundos (que inclui os pleiadianos) fizeram contatos com essas estruturas de poder, com essas pessoas ligadas à inteligência/aos militares do governo. Esses contatos tiveram por finalidade nos apresentar e oferecer-lhes orientação, por assim dizer, para ingressar na comunidade galáctica. Não oferecemos tecnologia, apenas orientação. A orientação é algo que vocês têm por direito de nascença divino — sua participação ativa e o conhecimento de seu direito de nascença de retornar para a família da qual vocês vieram.

Para encurtar a história, essas estruturas de poder não estavam realmente interessadas em qualquer tipo de orientação que não exigisse que lhes déssemos brinquedos — tecnologia. Então, basicamente, a resposta que tivemos foi: “Muito obrigado, até logo.” Tivemos de respeitar essa resposta. Agora, reconheçam que não entramos em contato com esse pessoal militar da inteligência governamental porque nós os considerávamos as estruturas de poder de seu planeta; entramos em contato com eles porque vocês, como um todo, os consideravam as estruturas de poder — os anciãos, se preferirem. Assim, tivemos de respeitar a consciência de massa. Ao recusar nossa orientação, as estruturas governamentais perderam o direito de agir em nome de vocês na área de relações extraterrestres. Então, nesse ponto eles não podem impor a experiência. Quando suas estruturas de poder recusaram a orientação, a responsabilidade recaiu sobre o povo.

A RESPONSABILIDADE AGORA É DE VOCÊS

Isso significa que, se o contato deve ser iniciado abertamente de igual para igual, a responsabilidade está agora nos seus ombros. O aspecto mais importante do programa de contato não será necessariamente realizado por pessoas, pois isso mantém vocês fragmentados. Em vez disso, esse aspecto do programa de contato e orientação vai se iniciar com grupos formados por vocês e por nós. No princípio, não serão grupos imensos, e sim grupos pequenos e fáceis de operar, nos quais seja possível sentir-se à vontade uns com os outros e unidos uns com os outros o suficiente para desenvolver vulnerabilidade, uma intimidade recíproca. Sabemos que isso é muito desafiador para alguns grupos humanos. Se houver dez pessoas (por exemplo) juntas, elas têm de passar por muita coisa para se unir e se abrir e ficar emocionalmente íntimas com os outros componentes do grupo. Sabemos que essa tarefa é difícil, mas simplesmente faz parte do protocolo galáctico, esse é o passo seguinte.

Anteriormente, o canal conversou com vocês sobre como é importante que vocês comecem a formar esses grupos e saiam em campo — não faz diferença se o campo for sua sala de estar ou o meio do deserto. Trata-se de um passo seguinte importante nas relações galácticas. Isso tudo é muito sério. O Conselho de Anciãos já deu permissão para a realização desse programa de contato. As estruturas de poder perderam o poder de orquestrar o programa, então ele está agora sobre seus ombros. Como o programa está nas suas costas, é sua responsabilidade criá-lo de forma a moldar seu futuro. Acreditamos que vocês gostariam de criar um relacionamento de igual para igual conosco. Há milhares de anos no passado no seu planeta, os extraterrestres tinham sido deuses. Fomos respeitados e venerados, não porque o desejássemos (pelo menos a maioria de nós), e sim porque os seres humanos, sendo uma espécie jovem, tinham necessidade disso. Como sua espécie está agora entrando na vida adulta, vocês já não podem desfazer-se de seu poder. Não podem mais abrir mão de seu direito de nascimento, que é ser parte da comunidade galáctica — da qual vocês já fazem parte, mas devem simplesmente lembrar-se desse fato.

FAZENDO CONTATO

Isso significa, então, que vocês devem levar esse contato para além do nível intelectual e até mesmo para além do nível físico. Vocês têm de fazê-lo a partir do nível do coração e fisicalizá-lo. Pode ser o simples ato de se encontrar com duas ou mais pessoas regularmente com um compromisso de iniciar a abertura desse contato — seja qual for o significado de contato para vocês. Essa intenção de fisicalizar esse contato por meio de reuniões e de se esforçar dá início ao processo. Vocês descobriram que não importa quantos grupos de contato existam no planeta, vocês todos estarão experienciando basicamente a mesma coisa, contanto que suas intenções sejam puras e seus corações estejam abertos, embora alguns de vocês recebam algumas peças do quebra-cabeça e outros recebam peças diferentes. O fato de os seus governos terem perdido esse direito nos entusiasmou, pois isso permite que trabalhemos diretamente com vocês e lhes permite assumir seu poder e moldar seu futuro de maneira direta. Muitos de vocês agora estão suficientemente despertos para conseguir moldar seu futuro da maneira que há tanto tempo concebem e imaginam. Vocês podem literalmente fazer isso.

Para aqueles de vocês que estiverem animados com essa idéia, sugerimos que comecem a formar seus próprios grupos. Podem realizar esse trabalho de contato como bem quiserem. Se estiverem entusiasmados com os métodos usados pela canal, podem utilizar seus ensinamentos como modelo. Se gostarem do que outros grupos de contato estão fazendo, usem seus métodos como modelo. Caso queriam inventar seu próprio método, então inventem. O mais importante não é o que se faz e sim que se faça.
Esperamos ter conseguido transmitir nossa mensagem: que adoraríamos conhecer vocês, interagir com vocês, enfim dar-lhes as boas-vindas à nossa família. Não estamos falando de um amor e uma luz metafísicos sem influência em suas vidas. No passado remoto, sua espécie foi o que se poderia considerar um filho adotivo. Vocês foram entregues a várias espécies extraterrestres para receber orientação e, em razão da política galáctica e de todo tipo de coisa interessante, vocês ficaram passando de um pai adotivo a outro e a lembrança de quem vocês são foi temporariamente apagada. Mas, com todos vocês tomando a iniciativa, ela poderá ser recuperada. Não estamos falando de algo que terá impacto em vocês no nível espiritual, e sim de algo que poderá ter impacto na própria vida que vocês vivem fisicamente. Algo que mudará sua realidade; alterará vocês e as estruturas nas quais vocês se baseiam para viver suas vidas. Se estiverem prontos para isso, se quiserem isso, tomem as medidas necessárias.

De nossa perspectiva, estamos muito entusiasmados pelo fato de começar a interagir com vocês a partir de um ponto de igualdade no qual vocês não são mais crianças e no qual somos todos como primos que há muito não se viam e finalmente se reencontram. É isso que nos emociona, e só trataremos vocês como iguais. Sempre que formos tratados como pais ou deuses, ou como se soubéssemos mais que vocês, não aprovaremos essa atitude. Vocês devem crescer — e dizemos isso com todo carinho. A única razão pela qual vocês não se sentem como uma espécie adulta é que ainda não exercitaram o que se encerra dentro de vocês. Por dentro, vocês são uma espécie extremamente sábia que passou por muita coisa e é infinitamente amada e admirada por muitas e muitas raças galácticas — mais do que conseguiriam imaginar. Vocês são como aquele pintainho quebrando a casca do ovo agora, e aqui existem muitos para ver esse acontecimento. Estamos honrados de fazer parte disso, e animadíssimos com a maneira como tudo está se desenrolando.

Há muitas pessoas aqui esta noite, e muitas perguntas também, então passemos às suas perguntas.

Não faz muito tempo, recebi informações dizendo que eu levaria esplendor e graça a três galáxias. Isso ficou além da minha compreensão; não entendi como conseguiam fazer isso desse jeito.
Muitos de vocês receberam mensagens sobre coisas que vieram fazer aqui, e com muita freqüência as mensagens, em fez de esclarecer, aumentam a confusão.

Parte do paradoxo é que, quando vocês descobrem o que vieram fazer aqui, já o estão fazendo sem saber. A melhor maneira de fazer isso — e na verdade o único jeito — é ser quem você é 100%. Não esconder quem você é, e sim deixar-se expressar. Isso, em última análise, significa seguir sua emoção no mundo físico, dando o que tiver vontade de dar, dizendo o que tiver vontade de dizer — literalmente deixar sua alma, sua própria existência, brilhar através de quem você é. Dessa maneira, todos vocês realizam o que vieram fazer aqui. Acontece que se vocês fizerem isto — se manifestarem seu Eu pleno em seu estado mais natural e radiante — vocês estarão aumentando o esplendor e a graça. Vocês não têm de fazer nada específico, exceto ser quem são plenamente, pois, na verdade, é tudo o que podem fazer.

O PAPEL DA AUSTRÁLIA

Qual é o papel da Austrália nas mudanças futuras, e em particular do didgeridoo (instrumento musical de sopro dos aborígines australianos usado em cerimônias tribais para induzir o sonho)?

Ah! Oh, ótima pergunta! A canal se esqueceu de lhes contar a história sobre uma manifestação extraterrestre numa praia na África do Sul; um dos componentes de um grupo estava tocando um didgeridoo, e sua música fez com que o grupo entrasse no que chamamos de estado de sonho (estado alterado de consciência no qual as portas entre as dimensões ficam um pouco mais flexíveis).

A Austrália tem reservado muitos papéis nos tempos futuros. Obviamente, os australianos nativos (o povo aborígine) são essenciais para toda a malha planetária, pois eles, mais do que qualquer outra raça nativa, guardam as memórias antigas. Essas memórias são mantidas nas mentes de alguns dos anciãos, em sua história — mas eles também encerram em sua estrutura do ADN toda a seqüência da evolução humana de mistura com a engenharia genética extraterrestre. Quando vocês forem capazes de ler a estrutura do ADN (isso com certeza será metaciência) conseguirão, por intermédio do povo aborígine, traçar a herança genética de todas as raças da Terra. Os próprios corpos dos aborígines encerram a história da Terra.

Vocês usam a expressão “Down Under” (“Lá embaixo”) para se referir à Austrália. Existe um senso de isolamento em algumas das pessoas com as quais falamos no passado, e isso é bem intencional. O isolamento, em especial para o povo aborígine, tem sido essencial para realizar o que ele concordou em fazer: ser essa biblioteca viva ou história genética viva do planeta. Eles precisavam desse isolamento.

E qual é o papel do povo australiano não-aborígine? Ao longo de todas as eras, tem havido separação em sua Terra entre os diferentes tipos genéticos — há muito tempo, desde quando os extraterrestres estavam trabalhando com a criação da raça humana na Terra. Vários grupos extraterrestres abriram negócio, por assim dizer, em várias regiões de seu planeta, e o resultado de seus experimentos são as diferentes raças de seu mundo. Essas raças diferentes refletiam a separação entre as várias espécies de extraterrestres. Quando a influência extraterrestre se retirou, vocês foram então deixados com um planeta com povos em desenvolvimento de raças ligeiramente diferentes. As barreiras já estavam em seus lugares. A única coisa que vocês podiam fazer, como eram uma raça sem pais, era dar forma às vagas lembranças de pais extraterrestres e, como naquela época muitos dos seres extraterrestres estavam em conflito uns com os outros, vocês refletiram esse fato — criando ainda mais conflito na Terra.

É tempo agora, em termos energéticos, de começar a misturar culturas — passar a criar uma visão mundial. Não estamos falando de um governo mundial nem de qualquer imposição, e sim sobre “uma espiritualidade”, um elo “único” num nível superior vinculando todos vocês. Como a Austrália é tão isolada e, em razão da forte ligação indígena aqui e da importância dessa ligação, todos vocês estão convocados a ajudar a refletir a mistura de povos indígenas das outras civilizações, a começar essa mistura num nível muito profundo, difundindo-a na malha planetária. Esse é um dos papéis da Austrália.

O didgeridoo tem origens extraterrestres. Obviamente, de certa forma, trata-se de um instrumento de concepção muito simples (não é necessariamente simples de tocar), e várias formas dele têm sido tocadas em muitos planetas diferentes ao longo de toda sua história antiga. Aqui, em virtude do sopro cíclico e da vibração de som criada pelo didgeridoo, seu som libera lembranças de natureza não-linear em nível celular. Também libera as lembranças estelares. Essa é uma das razões de ele ser tão sagrado para os povos aborígines. Eles estão guardando essas lembranças estelares (juntamente com outras lembranças), e o som do didgeridoo tem a capacidade de ajudar a entrar no estado de sonho. O estado de sonho é simplesmente uma saída de sua realidade diária normal, o estado de ondas cerebrais beta, e a entrada nos estados alfa e teta, uma realidade muito mais expansiva na qual se consegue ver os vínculos de toda a criação. Então, o didgeridoo é um instrumento que pode levá-los a esse estado de unicidade, de totalidade, no qual vocês contemplam uma visão muito diferente da criação.

O papel dos povos aborígine e australiano é essencial para a mudança completa da malha na Terra. Essa mudança não será feita de forma abrupta, e sim lentamente, num ritmo que possa ser assimilado pela consciência de massa.

Qual é a verdade sobre a Queda do homem, Lúcifer e assim por diante?

Isto vai parecer uma digressão, mas não é. Existe um paradoxo acerca da verdade: ela realmente está relacionada apenas ao observador. Por exemplo, se todos nesta sala presenciassem um acidente de carro, cada um teria uma história muito diferente sobre o que aconteceu, pois cada um teria percebido detalhes diferentes. O acidente foi um fato, mas seria muito difícil obter o mesmo relato de todos, porque embora exista uma verdade, também existem literalmente muitas verdades — eis o paradoxo. Dessa forma, o que posso fazer por você é dar-lhe minha versão. Não posso lhe dar “a verdade,” pois se eu lhe dissesse que “eu tenho a verdade,” seria uma afirmação bem egoísta. Nem eu nem nenhum ser tem “a” verdade. A única verdade realmente apropriada é a que está dentro de você, aquela com a qual você ressoa. Podemos dar-lhe mais algumas informações para a sua coleção, mas em última análise, cabe a cada um e a todos vocês fazer as pazes com esse assunto — e com todos os outros assuntos dos quais buscam a verdade.

Dito isso, passaremos a história para nossa terminologia — e temos de voltar atrás um pouco para fazê-lo.

UMA VERSÃO PLEIADIANA DA QUEDA

Houve um tempo em que existia Unicidade; não havia dualidade, nem polaridade. Tudo ia muito bem, mas o Uno (composto de todos vocês) resolveu um dia: “Sabe de uma coisa? Eu gostaria de saber como é não conhecer a mim mesmo. Quero descobrir. Mas para descobrir, deve haver um desconhecido.” Essa foi a primeira polaridade — o conhecido e o desconhecido. Quando esse desejo foi dito, “Quero conhecer mais,” presumindo a existência de algo desconhecido, a energia desse pensamento criou a primeira fragmentação, que se deu entre o conhecido e o desconhecido. Então, o conhecido desejou conhecer o desconhecido.
Houve cada vez mais e mais fragmentação que, finalmente, levou à fisicalidade. Contudo, quando começou esse desejo de entender o desconhecido, ele assentou uma fundação, ou um modelo, que impunha a forma de manifestação de toda a realidade nesse jogo. Essa codificação modelo era a polaridade, então tudo tinha de tomar a forma da polaridade. Não cremos de maneira alguma que a humanidade tenha caído, ou que haja um aspecto de maldade ou erro que criou a separação. Era simplesmente parte do modelo, e foi necessário para vocês conseguirem o que se dispuseram a conseguir: conhecer o desconhecido. A polaridade máxima, então, aquela que é expressa por meio desse universo para realizar o desejo de descobrir, é a polaridade entre amor e medo — pois qualquer polaridade existente se reduz, em última análise, a amor e medo. O medo é simplesmente a ausência de amor.

Devia haver consciência — entidades, seres — que precisavam desempenhar certos papéis para que isso acontecesse. E muitas vezes é necessário grande quantidade de amor para desempenhar o vilão. É por isso que essa entidade, Lúcifer, é chamada o “anjo caído.” Em certa época, ele foi uma parte da Unicidade, mas por meio de seu amor pelo Tudo Que É e seu desejo de aprender sobre o desconhecido, ele reconheceu que alguém tinha de desempenhar o papel da outra polaridade. Ao escolher agir assim, ele estabeleceu o modelo ou as circunstâncias necessárias (mesmo que fosse um drama universal) para que pudesse ser o outro pólo e pudesse haver essa dualidade entre amor e a ausência de amor, ou o conhecido e o desconhecido.

Então, vocês descobrem que o drama do que denominam trevas e luz e bem e mal está presente em todos os aspectos da vida, em todos os aspectos da realidade — porque foi com base nesse modelo que vocês se dispuseram a aprender sobre o desconhecido! Então, qual é o resultado? Como se chega ao ponto central, como se inicia o processo de integração? Como se toma o que foi ensinado pelos magníficos seres de luz e de ausência de luz e se beneficia o todo? A maneira mais rápida, a maneira mais profunda, é imergir nos dois pólos — amor e medo. Há, na maioria das pessoas, uma disposição de submergir no amor. Mas se vocês tentarem imergir num pólo a ponto de excluir o outro, nunca conseguirão entender inteiramente nem mesmo esse pólo. Vocês têm de permitir os dois. Tudo se resume ao fato de que todos os seres têm de explorar o desconhecido — a ausência de luz, a ausência de amor, que se traduz em medo: vocês devem encarar o que temem e passar por isso. Vocês devem amar aquilo de que têm medo e integrá-lo em níveis muito profundos dentro de si mesmos. Os antigos de seu mundo sabiam disso, e o forçar vocês a encarar esse aspecto de si mesmos explica em parte os rituais de muitas sociedades antigas.

Não consideramos Lúcifer necessariamente uma pessoa, embora muitos tenham desempenhado esse papel. A primeira manifestação desse papel não foi um ser único, e sim uma consciência de grupo. O principal é que todos vocês têm essa guerra dentro de si, e parte do que se está considerando para todos vocês agora é que já é hora de parar de ir de um lado para o outro e começar a juntar tudo. Essa é a solução de tudo. Como eu disse, essa é a minha verdade sobre essa dinâmica e é uma peça do quebra-cabeça da história toda.

Nos últimos tempos, venho sentindo três sirianos que parecem vir com bastante freqüência e então vão embora. Eles não estão numa manifestação física, mas consigo senti-los e mais ou menos vê-los. Como faço para que eles se manifestem mais comigo?
Eles são ou não físicos?

Sinto que eles são físicos e consigo mais ou menos distinguir seu formato. Contudo, não são realmente físicos.

Bem, antes de mais nada, não pense que uma manifestação física seja o resultado final de seus esforços, pois é preciso muito para uma manifestação física, e do ponto de vista deles, talvez não seja conveniente. Você se comunica com eles?

Sim.

Perguntou a eles sobre esse fato?

Creio que poderá acontecer quando eu estiver pronto.

Sim, concordamos nesse ponto. Quando lhe dizem: “quando você estiver preparado,” a intenção nunca é insinuar que neste exato momento você tenha alguma deficiência em determinada área de seu crescimento espiritual. Muitas pessoas entendem isso por esse lado, mas a intenção não é essa. Pois embora cada pessoa seja única, todas as pessoas estão vinculadas à consciência de grupo, e se alguém tivesse uma experiência que abalasse o paradigma a ponto de afetar o todo, então não é conveniente que essa pessoa tenha essa experiência.

Então, não pense que há algo errado com você se isso não acontecer. No entanto, sugerimos, para fazer o processo avançar, que o fim desejado não seja a manifestação, e sim simplesmente um vínculo maior e mais comunicação. A manifestação talvez seja um subproduto desses dois fatores. Sugerimos que você se comunique com eles o máximo que puder (dentro do razoável, lógico.)

UMA TÉCNICA DE CONTATO

Qualquer um de vocês pode usar esta técnica para qualquer entidade com a qual por acaso estejam em contato: coloquem uma esfera vermelha junto à parte inferior de seu corpo e uma esfera verde junto ao peito. Ponham uma esfera azul junto à parte superior de corpo e da cabeça. Quando sentirem estas entidades, projetem para elas essas três cores a partir dessas áreas do corpo. Isso os ajudará a fazer conexão no nível físico, emocional e mental. Mesmo que as entidades não tenham nível físico, ajudará vocês a ancorar a ligação delas em vocês no plano físico. Se praticarem essa técnica e realmente tentarem sentir essa ligação com esses seres, com o tempo (um pouco de cada vez para alguns ou muito rapidamente para outros) realmente passarão a sentir a pessoa ou pessoas no outro extremo. Quando se segura uma das extremidade de uma corda e outra pessoa segura a outra extremidade, é possível sentir a outra pessoa segurando-a. Se praticarem essa técnica, conseguirão sentir a outra extremidade do que estiver enviando; serão capazes de sentir a presença das entidades, ajudando-os a se ligar mais e tornando a comunicação ainda mais clara.

TERRA INTERIOR E A MALHA MUNDIAL DE ENERGIA

Li muito sobre os seres da Terra Interior. Pode nos falar um pouco sobre eles?

Bem, eles são antiquíssimos. O início de sua forma atual se deu durante a era lemuriana. Naquela época, havia alguns grupos insatisfeitos com certas políticas no planeta — em especial à que se relacionava com a Atlântida quando os dois períodos de tempo se sobrepuseram. Então, eles escolheram ir para o interior da Terra e formar sua própria civilização, afastando-se dos processos evolutivos dos seres humanos. Eram constituídos basicamente de ADN extraterrestre. Formaram sua própria civilização abaixo do solo e lá cresceram e se desenvolveram. Eles atingiram agora um ponto na multidimensionalidade em que às vezes são visíveis e outras vezes não. São ligeiramente distantes de vocês em termos de dimensão, devido a sua evolução. Se vocês fossem para a entrada da Terra Interior, às vezes conseguirão entrar e vê-los, mas outras vezes não.

O Triângulo das Bermudas apresenta relação com as entradas ou saídas deles?

No passado antigo, costumava ser um ponto de saída, uma ligação entre a Atlântida e Lemúria. Era uma via para se viajar interdimensionalmente para a área atlante usando as linhas de energia da Terra. Contudo, desde a destruição da civilização atlante, o portal não é mais utilizado da mesma maneira. Esses seres aos quais você se refere encontram-se principalmente na área do Himalaia, no Tibete, China. Há alguns também na área dos Andes, na América do Sul. Existem pontos de entrada nos dois pólos. Esses são alguns exemplos. Pode haver vida em muitas freqüências dimensionais diferentes ao redor da Terra. Eles escolheram ter sua própria sociedade numa realidade dimensional ligeiramente diferente, embora tenham consciência de que, quando a Terra mudar, eles reunirão as dimensões, tornando-se parte da sociedade que aqui se encontrar nessa época.

A malha mundial de energia e os antigos sistemas de templos — que importância têm eles hoje em dia? Qual é a ligação entre as pedras dos topos e a malha, e por que tantas foram removidas de montanhas e pirâmides?

O sistema de malha existe há muito, muito tempo. Em vários pontos-chave da malha existem templos utilizados para várias finalidades ao longo do tempo. Houve várias eras de civilizações na Terra e, durante essas diferentes eras, os templos foram usados para diferentes propósitos. Qualquer resposta que déssemos seria bem geral, pois depende da era.

De modo geral, no passado antigo (estamos falando de antes do Dilúvio, no tempo da Atlântida e de Lemúria), os pontos da malha e os locais dos templos eram usados de muitas formas diferentes, pois o sistema de malha era altamente carregado e a energia da Terra era muito ativa naquela época. Esses locais eram utilizados como entradas e saídas interdimensionais tanto para viagens planetárias como intergalácticas. Eram também usados como coletores de energia livre, se preferirem, ou seja, a energia bruta gerada nesses locais especiais era muitas vezes usada como combustível pelas espaçonaves. Havia inúmeros usos.

No entanto, depois do Dilúvio e durante a era das trevas em seu planeta (em termos galácticos, o período desde a destruição da Atlântida até a atualidade é considerado um tempo de trevas em seu planeta), o sistema de malha se rompeu, por assim dizer. Todos vocês agora passam um bocado de tempo indo para esses pontos diferentes de poder e recarregando a malha. Em termos energéticos, cada um desses pontos especiais, como a Grande Pirâmide de Gizé, conserva energicamente os modelos originais para a malha da Terra. A malha encontra-se atualmente num padrão latente, ou seja, as informações e a energia estão lá em forma holográfica à disposição do sistema original de malha, que é o auge de saúde da Mãe Terra, mas está em animação suspensa. Nas épocas de trevas, há uma necessidade de conservar e não de entrar em atividade, e nesta época de trevas na Terra, se esses sistemas de malha fossem ativados como nos tempos antigos, vocês simplesmente repetiriam esses padrões antigos.

A consciência de massa, nos níveis superiores que organizam essas coisas, sabe que ainda é tempo do padrão latente, mas a imagem holográfica, forte e intacta do sistema de malha da Terra encontra-se em cada um desses pontos de poder. Quando um de vocês visita esses locais por intermédio de suas meditações, produz um pequeno orifício na barreira de lembranças e um minúsculo pedaço do modelo original salta para esta realidade. É como tomar remédios homeopáticos — pedacinhos daquele sistema original de malha se manifestam no mundo todo, o que carrega a Terra e faz com que ela fique cada vez mais forte. O modelo é reconstruído pouco a pouco. Não pode ser estabelecido em sua totalidade de uma só vez; isso seria traumático demais, podendo ocorrer uma mudança de pólos. Portanto, dá-se em doses diminutas, quase homeopáticas.

Desde a época conhecida por vocês como 1987 (Convergência Harmônica), as pessoas se dirigem em grande número para esses locais, então, obviamente, vocês agora já podem tomar doses maiores.O sistema de malha está sendo consertado. Houve um comunicado anterior sobre os testes nucleares franceses, e conta-se que Drunvalo disse que na prática eles trabalham a favor de vocês. Isso acontece porque alguns dos testes nucleares podem às vezes abrir um orifício um pouco mais, permitindo a entrada de uma dose maior da energia holográfica de malha. Então, os testes nucleares começaram a acelerar o processo dessas doses homeopáticas para o sistema de malha.

Esse processo continuará a acelerar. Quanto mais vocês forem a esses locais sagrados, mais contribuirão para a recuperação da malha da Terra. Uma das razões pelas quais a canal foi enviada ao Egito foi auxiliar a manifestar ainda mais aquela energia holográfica de malha.

PIRÂMIDES E PEDRAS DE TOPO

Agora, as pedras de topo. Existe, na verdade, uma pirâmide intacta em seu mundo, fica numa parte remota do continente asiático, na área da China. Alguns dos cumes das pirâmides foram retirados por vários grupos de ETs há muito tempo. Isso aconteceu antes e depois do Dilúvio. Houve uma grande correria na época do Dilúvio, quando vários grupos de ETs disputavam o poder. Como os cumes representam algo parecido com a chave do carro, se fossem removidos, então os locais (acreditavam eles) poderiam ter seu poder diminuído.

Do nosso ponto de vista, não faz tanta diferença que as pedras dos cumes já não estejam lá, pois as freqüências ressonantes daqueles antigos cumes são atualmente incompatíveis para o seu planeta. Se estivessem lá agora, haveria uma extrema desarmonia, vocês não iriam querer isso. O que já está começando a acontecer é que, por meio de seu próprio trabalho nos locais sagrados, muitos de vocês estão passando a criar etericamente novos cumes, usando a freqüência harmônica correta para a Terra nesta época. É possível, mas incerto, que numa época apropriada os cumes venham a ser descobertos, aparentemente pela primeira vez, mas eles serão a manifestação de novos cumes criados por vocês através de uma forma-pensamento de massa.

Este trabalho que todos estão realizando não será em vão, mesmo que pareça que vocês não estão fazendo nada e que seja tão fácil (fácil às vezes). Todos vocês estão ajudando muito. [Risos.]

Formamos um grupo, um grupo maravilhoso; entramos em contato e agora nos comunicamos com seres extraterrestres que nos falam do planeta Duron. Pode nos dar informações sobre eles, e poderia nos dar recomendações de como facilitar esse processo?

Essas entidades descreveram seu corpo físico ou sua aparência?

Sim. Têm olhos verde-limão brilhantes parecidos com os dos gatos, pelagem cinzenta, e mais ou menos 1,20 m de altura.
Essas entidades não fazem parte de sua família galáctica mais próxima. Sentimos que o planeta do qual eles vêm fica na direção da estrela Vega, mas sua estrela não é realmente muito visível; é um pouco pequena. Se todos vocês conseguissem ver o número de estrelas que existe mesmo lá fora, ficariam alucinados — a luz os cegaria, literalmente. Quanto a como facilitar a ligação, não queremos dar uma maneira que funcionará para todos, porque não existe uma maneira única. Utilizem a ligação (caso seja através de canalização) da melhor maneira possível e peçam constantemente a ajuda deles nos passos seguintes de seu trabalho. Eles talvez lhes dêem algumas informações que podem não fazer nenhum sentido, que podem fazer tão pouco sentido que vocês não queiram segui-las. Mas se for algo fácil de fazer, e totalmente inofensivo e vocês tiverem um pressentimento bom em relação à informação, vão em frente e ela vai lhes oferecer uma peça do quebra-cabeça. Ao longo do caminho, a informação passará a fazer sentido. Confiem na ligação o máximo que puderem e não tenham medo de canalizá-la, de querer e de pedir mais, pois é importante que todos os que assumirem esse projeto se tornem participantes ativos (ou seja, que vocês possam realizar sessões de brainstorm e organizar ativamente). Vocês não precisam simplesmente ficar esperando por eles. Trabalhem com eles em parceria e continuem enquanto esse trabalho os entusiasmar. Não fiquem desencorajados.

O CINTURÃO DE FÓTONS, O CALENDÁRIO MAIA

Poderia falar com detalhes sobre sua compreensão do Cinturão de Fótons e sua influência na humanidade? Poderia também comentar o calendário maia e sua correspondência com o calendário da história humana conhecido por nós?
Sabemos que muitas informações sobre o Cinturão de Fótons têm sido dadas e canalizadas, então não entrarei em muitos detalhes. Em termos bem simples, o Cinturão de Fótons representa uma energia proveniente do que vocês chamariam âmago Galáctico, energia que está chegando à sua Terra e servirá de freqüência harmonizadora com a qual vocês passarão a ressoar, profundamente, no nível celular. A maneira mais fácil de descrever isso é que se sua freqüência estiver vibrando assim [agita uma mão], quando chegar a hora de vocês mudarem de freqüência, muitas vezes precisarão de ajuda para fazê-lo. Outra influência — neste caso, o Cinturão de Fótons — entra em cena. É mais rápido do que a Terra. Vai aumentar sua freqüência e fazer com que ela se desloque com mais rapidez. É como um volante de treinamento, que permite a vocês treinarem para se deslocar mais rapidamente. A maioria das civilizações, ao passar por uma mudança como esta, necessita desse tipo de assistência para modificar sua freqüência harmônica.

Esse é o objetivo principal do Cinturão de Fótons. Como ensina sua civilização maia, existe um ciclo de 26 mil anos, um grande ciclo galáctico. Assim como existe o ciclo de estações — verão, primavera, inverno, outono — o grande ciclo galáctico também tem suas estações. Cada estação tem suas características, ditadas pela freqüência. Como vocês estão se deslocando agora para um estação galáctica diferente, estão entrando numa freqüência diferente, como uma mudança nos padrões de clima. A energia do Cinturão de Fótons é muito natural para a estação na qual vocês estão entrando. Ela chega gradualmente, vocês já estão sendo expostos a ela, e simplesmente aumentará de intensidade.

No calendário maia, o fim da civilização conhecida por eles acontecerá por volta de 2012. A idéia de que essa data representa o fim do mundo é equivocada, e muitas pessoas pensaram que ela significava destruição, cataclismo. Contudo, se falarmos com quem conhece em profundidade o calendário, em especial o povo nativo, eles reconhecem que se trata simplesmente do fim de uma era. Não havia razão nenhuma para iniciar um calendário para a nova era, pois ela seria totalmente diferente. Quando o antigo calendário foi criado, havia a compreensão de que o calendário para a nova era seria criado quando a nova era começasse.

O que pode nos dizer sobre a existência de pirâmides na Austrália?

Você já tem informações sobre isso?

Ouvi falar de algumas no oeste da Austrália.

Nunca fizeram esta pergunta. Observem que quando respondemos essas perguntas, respondemos de acordo com as informações à nossa disposição. Nunca, de maneira alguma, esboçamos a pretensão de saber tudo. Neste exato momento, estamos recebendo a informação de que há três pirâmides na Austrália e, dessas três, duas estão em estado inativo. Uma está ativada, porém num padrão de espera. Está emitindo uma energia de baixa freqüência, pois as freqüências mais elevadas ainda não são adequadas. Apresenta ligação com a malha mundial e, para que essas pirâmides possam se ligar, é preciso que certas coisas estejam em seus lugares pelo mundo afora. Quanto à localização das pirâmides, percebemos que uma fica próximo a Darwin (capital administrativa do Território do Norte), mas numa região muito remota, talvez a cerca de 200 ou 300 quilômetros, um pouco ao sul. Infelizmente, somos muito limitados pelo conhecimento de geografia da canal. (Esse é um dos inconvenientes deste método de canalização, podemos ser específicos somente até onde vai a própria instrução da canal.) Há outra pirâmide numa região muito remota perto do centro do continente, um lugar que alguns dos anciãos aborígines conhecem, mas que está camuflado até para quem o observa do céu. Para obter essa informação, estamos acessando com todo respeito alguns dos anciãos de seu continente. Esse é o trabalho deles, e isso é tudo o que eles desejam nos dizer, então devemos respeitá-los. Obrigado pela pergunta.

Algum comentário sobre cristais e seus poderes de cura e o uso adequado dos cristais que compramos? Pode nos fornecer um plano específico que nos ajude na cura e na ligação com nossos irmãos e irmãs pleiadianos?

UM NOVO CHAKRA

É difícil decidir o que dizer sobre cristais que já não tenha sido dito. Obviamente, constituem uma ferramenta valiosa para auxiliar a pessoa a trabalhar com a multidimensionalidade. Quanto ao plano relacionado com os irmãos e irmãs pleiadianos, na forma pleiadiana existe uma região de chakra ainda não desenvolvida pelos seres humanos, mas que está sendo desenvolvida. Fica entre o coração e a garganta. Alguns de vocês já a estão sentindo e trabalhando com ela. Existe uma cor associada a esse chakra, mas seus olhos ainda não conseguem captá-la no espectro eletromagnético. À medida que vocês passam por mais transições e sua freqüência se modifica, então vocês conseguirão enxergar a cor, uma combinação de verde a azul, como uma versão de quarta dimensão da água-marinha. Talvez vocês consigam imaginá-la, mas seus olhos físicos ainda não conseguem enxergá-la. Vocês podem vê-la na meditação.

Se utilizarem alguns cristais entre o coração e a garganta, poderão começar a ativar essa área e energeticamente realizar a ligação com os irmãos e irmãs pleiadianos, em especial se houver uma entidade pleiadiana à qual se sintam fortemente ligadas. (O poder será bem maior se vocês tiverem em mente uma entidade em particular.) Sugerimos, se possível, usar um cristal de Madagascar, pois a harmonia desses cristais é bem mais pura. Se possível, utilizem um cristal de Madagascar com duas extremidades — natural, não lapidado — e o coloquem sobre essa área (uma ponta em direção à garganta, outra em direção ao coração). Meditem e se expandam em sua mente e por seu próprio centro de sentimento, imaginando aquela cor de água-marinha indo para a entidade pleiadiana com a qual vocês desejam se ligar. Exatamente como no caso da informação dada antes sobre a ligação com os seres sirianos ou qualquer ser extraterrestre, se vocês irradiarem essa energia e a imaginarem se ligando, começarão realmente a sentir a ligação. Isso os ajudará a se ligar, e também os ajudará a desenvolver esse centro. Assim, o benefício sobre vocês é muito direto.

Traduzido para sua realidade física, esse centro é a mais elevada expressão do coração. Como está utilizando a energia da garganta e do coração, não se trata apenas de um centro de sentimento, e sim de um centro de expressão — que expressa o coração num nível mais elevado. Esperamos que isso os ajude.

Muito obrigado.

O que vocês dizem em seu mundo — há uma bengala que sai do palco e que vocês tiram quando o espetáculo termina? Bem, essa bengala cósmica está vindo aos poucos em nossa direção, então gostaríamos de estender a todos vocês nossa mais profunda gratidão mais uma vez por nos permitir servi-los nesta noite, permitindo-nos partilhar com vocês como iguais e permitindo-nos sentir sua alegria e seu compromisso com a transformação de seu planeta. É realmente lindo de se ver, e estamos muito gratos. Diremos simplesmente obrigado, desejando-lhes muito amor e um boa-noite muito carinhoso.
FONTE: http://www.anjodeluz.com.br/

UMA MENSAGEM DOS ARCTURIANOS


canalizada por Susan Caroll

Junho 2009

O processo já começou.

Queridos Seres Cristalinos,

Nós, os Arcturianos, saudamo-los com amor incondicional e respeito. Nós os vemos brilhar diante de nós em sua nova forma de luz cristalina. Na verdade, esta não é a sua nova forma, mas o retorno à forma de seu verdadeiro Eu. Quando vocês deixaram pela primeira vez o UM para participar da Grande Experiência da Luz em Matéria, sua forma era pura luz, livre de toda a matéria e completamente infundida no espírito. Temos de dizer, queridos, que a luz que vocês suportam agora tem expandido grandemente para além da luz que vocês abriram quando vocês primeiro adentraram as trevas da matéria.


Muitos de seus mitos terrenos falam de um grande ser que se auto-sacrifica pelo bem de muitos. Após a morte, o mártir, em seguida, vai para a escuridão para fazer batalha com todos os seus demônios. Após o terceiro dia, o mártir retorna à luz como um mestre de Energia. Gostaríamos de ter um momento para explicar algumas propriedades importantes da energia do número 3. Quando o UM da 5ª dimensão e além foi polarizado para as realidades da 3ª / 4ª dimensões, tornou-se o número 1 (masculino / luz) e 2 (feminino / matéria). 3 é o número que representa a criação que resulta da fusão das polaridades 1 e 2.


A história da criação do número 3 é que o 1 (Luz/Espírito) e 2 (Sombra/Matéria) se uniram para criar o seu filho de amor, 3 (Humanidade). Devido a 3 tomar forma nos mundos inferiores, os números 4 (base da forma), 5 (pés aterrados, coração aberto, cabeça nas estrelas), 6 (expressão criativa) e 7 (transmutação de volta à luz) se desenvolveram. Vocês agora chegaram ao “tempo” do número 7, no qual você transmuta sua forma de volta para o UM a partir do qual ela surgiu primeiramente. Assim como o mártir de suas histórias de criação se torna um mestre de Energia, você ganhou sua mestria como um Guerreiro Espiritual Magnífico. Por eons, você combateu o seu único inimigo, o medo, com sua Espada de Intenção e seu Escudo de Amor Incondicional.


Por favor, veja, diante de você, os membros da Federação Galáctica que estão orgulhosamente o proclamando como um mestre ascensionado, à medida que lhe dão boas-vindas ao LAR do seu verdadeiro Eu. Sim, você vai retornar à sua vida terrena. Sim, irá parecer o mesmo através de seus olhos físicos. No entanto, através de seu Terceiro Olho desperto e Coração Superior aberto, você irá ver e sentir as vertentes da luz cristalina que desejam aceitar ardentemente a luz inteligente, o amor incondicional e a criatividade infinita das ondas de torção que fluem a partir do Centro Galáctico.

CRIANDO A REALIDADE

Uma matriz está sendo criada para uma nova realidade, uma que você tem criado desde que você começou o seu despertar. Agora, queridos membros da nossa galáxia Via Láctea, vocês estão fundindo a sua consciência com as expressões mais elevadas de seu Eu. À medida que falamos com você agora, queremos lembrá-lo de que você é verdadeiramente UM conosco, os Arcturianos, que são UM com todas as consciências. A consciência é o criador de toda forma, não o inverso. A consciência é espírito vivo, que pode ou não se dirigir para criar a forma. De fato, na Fonte somos todos consciência pura, pura energia.


Quando a consciência visa criar a forma como uma expressão artística de seu ser, ela transmite a intenção de forma para baixo na escada de frequências para os mundos inferiores da forma. Esta intenção é então replicada em toda e cada dimensão. No entanto, em cada dimensão a forma parece ser diferente porque a ressonância de cada freqüência cria uma versão ligeiramente diferente da mesma intenção / padrão / matriz que foi transmitido abaixo a partir do Criador. No caso de seu invólucro terreno, o criador é você, isto é, o VOCÊ dentro do UM que desejou experimentar a individualidade em uma realidade baseada na forma.


Seu corpo, em cada dimensão, é feito dos elementos daquela dimensão. Portanto, a sua forma de 3ª dimensão é feita de matéria que é a combinação dos elementos da terra, ar, fogo e água. Esta matéria está polarizada. Para criar a polaridade, as energias masculina e feminina precisam se separar. Agora, a fim de preparar o seu invólucro físico para a sua iniciação ao Despertar e para o download das expressões maiores do seu Eu, você deve unir as suas energias masculinas (1) e femininas (2) para criar sua nova forma (3), o corpo de Luz. A forma de seu corpo de luz será o invólucro em que você irá voltar ao LAR de sua verdadeira vibração.


Seu corpo de 4ª dimensão é composto dos elementais, que são a ressonância mais elevada dos elementos de 3ª dimensão. Nos subplanos inferiores da 4ª dimensão, o seu corpo ainda está polarizado em masculino e feminino. Contudo, uma vez que a forma é mais mutável na 4ª dimensão, você pode se deslocar de um gênero para o outro. À medida que você viaja para subplanos mais elevados da 4ª dimensão, seus corpos se tornam menos e menos polarizados. Em seguida, na 5ª dimensão, a sua forma se torna andrógina.


Quando você retornar primeiro ao limiar da 5ª dimensão, você pode optar por exprimir o seu Eu tanto no gênero masculino quanto no feminino. No entanto, à medida que você retorna à sua forma nas freqüências mais elevadas dos subplanos de 5ª dimensão, você está menos propenso a optar por se expressar em uma forma de sexo. Na verdade, à medida que você retorna às mais e mais elevadas frequências de seu Eu Multidimensional, menos propenso você está de se manifestar como uma forma individualizada. Nós, os Arcturianos, que estamos nos comunicando com vocês, não temos forma. Isto porque além da oitava dimensão, não há qualquer senso de individualidade com exceção do grupo da expressão do planeta “individual”, sistema solar ou galáxia – tais como os mundos Arcturianos.


Quando você retorna à sua forma de 6ª dimensão, você irá se perceber como o projeto, a matriz – a matriz pura e cristalina. A partir desta perspectiva, você pode perceber os padrões de seus comportamentos e criações nas realidades inferiores da 3ª e 4ª dimensões. Em seguida, você pode ir diretamente para o “disco rígido” da Matriz Cristalina para fazer os ajustes necessários para estes padrões. Entretanto, uma vez que a realidade é uma percepção, se o seu ser de 3ª dimensão ainda acredita nos antigos padrões – é isto o que você vai experimentar até que possa mudar suas crenças. Este fato ocorre porque:

*Crença gera expectativa

**Expectativa direciona atenção

***Atenção filtra as percepções esperadas

****Percepção É realidade, porque:


A realidade que você percebe é a realidade que você vive.


INICIAÇÕES EM MESTRIA

Antes de começarmos a nossa jornada para a 6ª e 7ª dimensões, queremos inflamar a memória de suas iniciações anteriores em Mestria em suas realidades passadas / paralelas. Seu Eu de 6ª dimensão armazena a matriz, que o seu Eu de 5ª dimensão projeta nos mundos de 3ª e 4ª dimensão de forma. Uma vez que não há tempo na 5ª dimensão e além, todas as suas realidades de 3ª e 4ª dimensão são percebidas como acontecendo no AGORA. Devido a isto, o que parece ser “vidas passadas” a partir do seu ponto de vista de 3ª dimensão, é observado como vidas “paralelas” a partir da 5ª dimensão e além.


É importante que você revise o processo destas iniciações neste momento pois a 6ª dimensão, em que você está prestes a entrar, é o “disco rígido” que cria e mantém todas as suas matrizes 3D. Assim, você estará ajustando não só a sua vida atual, mas todas as suas aventuras na 3ª e 4ª dimensões. Em suas realidades passadas / paralelas, não foi este o caso uma vez que a “fase” da terceira dimensão da Terra estava longe da ascensão planetária. Agora, Gaia irá subir com você assim como você irá ascender com ela. O 2 está voltando para o 1 e levando todos os 3 com ela.


Em tempos antigos, iniciados estudavam em Templos que estavam isentos das responsabilidades e preocupações da vida mundana, porque o planeta Terra ressoava numa freqüência bem menor do que ressoa agora. Além disso, havia uma diferença enorme na consciência entre os poucos iniciados / os despertos e a massa sem instrução. Neste espaço de tempo, você estudou por muitos anos na segurança relativa do Templo a fim de discernir entre as ilusões da 3ª dimensão e a Verdade dos mundos mais elevados. De fato, naquela altura, os “mundos superiores” não se estendiam para além da 4ª dimensão.


Quando estava pronto para o seu início em Mestria, você teve que enfrentar os quatro desafios da terra, ar, fogo e água. Para cumprir esta iniciação, você precisou se fundir com os elementais de 4ª dimensão de cada um dos elementos de 3ª dimensão a fim de distinguir entre a ilusão de realidade polarizada e a verdade dos mundos superiores. Esta fusão de 3ª e 4ª dimensões ativou a memória de sua verdadeira natureza multidimensional. Para a maioria dos iniciados, aquela natureza somente abrangia os subplanos mais elevados da 4ª dimensão.


Durante o processo de iniciação, vocês foram chamados para se deslocar através de quatro áreas. Em cada área, você enfrentou o desafio de “sobrevivência”. Por exemplo, você deveria entrar numa área na qual havia uma grande avalanche. Se você acreditasse na ilusão, você tentaria “sobreviver” por sair correndo do efeito provocado pela terra, caso em que seria provavelmente esmagado pela sua crença na ilusão.


Por outro lado, se você pudesse comungar com os elementais da Terra para encontrar a verdade da situação, eles o lembrariam de que, como um mestre, você poderia comandá-los para acalmar o movimento de seus elementos de 3ª dimensão. Neste caso, por acreditar na verdade de seu Eu Multidimensional e, portanto, a sua mestria de Energia, você teria cumprido a iniciação.


Um desafio semelhante seria apresentado a você com os elementos do ar, fogo e água. Se você fosse capaz de lembrar de seu Eu e passar por todas as quatro de suas iniciações, você era conduzido a uma sala especial para descansar e aguardar o reconhecimento da sua vitória. No entanto, mais uma iniciação, sagrada para apenas os mais elevados Mestres, aguardava-o – o início do amor humano. Neste caso, um possível amado (a) entraria em sua sala com “comes e bebes”.


A seguinte seqüência de eventos foi criada para apresentar a você, o iniciado, a opção de escolher o amor humano (que iria criar vínculos com a matriz 3D e ilusões) ou o amor incondicional (que iria permiti-lo se manter livre de todas as ilusões e distrações de 3ª dimensão). Se o amor incondicional fosse escolhido, você seria mestre sobre a mais poderosa de toda a sua energia – suas próprias emoções.

AMOR INCONDICIONAL

O amor humano, que é baseado em polaridades, é muito atrativo porque carrega grande desejo (a unidade em um terreno de separação) e paixão. No entanto, o amor humano é também cheio de medo, posse, ciúme e dor. Por outro lado, o amor incondicional está livre das polaridades que criam a ilusão de separação e limitação. Portanto, o amor incondicional não sustenta o medo da perda ou dor que o seu amado causaria, porque você e seu amado (a) são UM. Machucá-lo seria machucá-los, por assim dizer. Com nenhum sentimento de separação, não há necessidade para possessividade ou inveja à medida que cada momento é partilhado dentro do UM.


Finalmente, o amor humano pode, muitas vezes, limitá-lo de prosseguir com seus objetivos mais elevados, enquanto que o amor incondicional não cria limitações. No entanto, a fim de escolher o amor incondicional, você precisa liberar o seu próprio apego aos dramas emocionais da 3ª dimensão e acreditar, ao invés, na paz e tranquilidade do seu Eu Multidimensional. O seu verdadeiro Eu não é apenas um com a sua amada, mas também é UM com todos os elementos e elementais do planeta. Considerando que o amor humano pode ser restritivo, o amor incondicional é muito expansivo.


Uma vez que você abraça o amor incondicional, ele automaticamente expande o seu senso de Eu além de sua individualidade, além de seus entes queridos, além de sua casa, sua cidade, estado, país e na própria terra, céu, água e espírito de Gaia. O corpo de Gaia é amado e será elevado, transmutado, ascendido para a 5ª dimensão. A terra incondicionalmente amada, protegida e respeitada irá expandir. Por outro lado, a terra que tem sido marcada com o medo humano, com ódio e ganância, deixará de existir, assim como os animais, plantas e minerais que têm sido tão danificados e profanados pela humanidade para aumentar a freqüência de suas terras.


Felizmente, iniciados e humanos despertos podem iniciar o seu dever de serem Detentores da Terra e transmutar as zonas de Gaia que têm sido destruídas ou prejudicadas pelas escolhas medrosas da humanidade. Evidentemente, os Cetáceos (baleias e golfinhos) têm feito um trabalho estelar de serem os Detentores da Água. No entanto, embora tenham constantemente preenchido os oceanos e cursos de água com amor incondicional, os seres humanos continuam a gerar mais danos. A humanidade precisa seguir o exemplo destes grandes, antigos seres e encher a nossa realidade com amor incondicional.


Felizmente, a luz dos despertos é dez vezes mais forte do que os que ainda estão perdidos na escuridão. Portanto, se você é um dos despertos, lembre-se do amor incondicional de todos os elementos de Gaia e Elementais, você contribuirá significativamente para o processo de Ascensão Planetária. Se você puder se lembrar de amar incondicionalmente a terra de seu lar, seu bairro, o seu percurso para o trabalho, o local do seu emprego, a terra abaixo da escola de seus filhos e cada lugar que você visita, você irá criar fitas de Luz Cristalina de 5ª dimensão através, ao redor e dentro do corpo de Gaia.


Queridos Despertos, não se esqueçam do poder que vocês já possuem. Compartilhe este poder através do amor incondicional que ressoa dentro de sua aura. Tome um momento em sua vida ocupada para alargar a sua aura afora envolvendo a sua terra, descendo ao ardente núcleo do corpo de Gaia, para cima ao céu Dela e para baixo às águas Dela. Ao tomar um momento para enviar a sua intenção de auxiliar Gaia com o seu amor incondicional, você irá ajudá-la imensamente em seu processo de Ascensão Planetária.


Para auxiliá-la mais, envie à Gaia a sua mais profunda gratidão por sustentar a forma do planeta sobre o qual você tem tido muitas encarnações. Através de todas estas encarnações, seu autosenso se expandiu para abarcar o seu Eu Planetário. Tome uma longa, lenta inspiração à medida que você percebe que o seu Eu não é apenas um pequeno humano. Seu Eu são todos os elementos e elementais que compõem o seu planeta.

Comece o SEU dia como um planeta.

Olhe para o SEU céu.

Sinta SEUS pés dentro de sua terra.

Olhe para o SEU horizonte.

Siga o percurso de SEU sol que nasce e se põe.

Sinta SUA luz da lua à medida que cresce e mingua.

Nutra e ame as plantas, animais e pessoas que vivem em sua terra.

Experimente o fluxo de SEUS oceanos e canais fluviais.

Sinta a chuva à medida que alimenta a SUA terra e limpa o SEU céu.

Saiba que VOCÊ é o Planeta.

O Sistema Solar é a SUA família.

A galáxia é o SEU clã.

No UM dentro do

Todo Cósmico

Sozinho ao lado

Do outeiro da Fada

Entre as árvores

Sob o céu

O seu coração se expande

Sua mente pergunta por quê

Por que decidir

Deixá-lo ir

Para receber o dom

Que deseja saber?

Como você pode

Se separar, sendo UM,

Absorver a Lua

Tornar-se o Sol?

“A resposta se encontra dentro”,

Dizem eles

“Para aliviar a noite,

Torne-se o dia.

“Agarre-se à luz e

Deixe-a brilhar

Para SER a Verdade

Que você descobriu que sabe! “

O PROCESSO DE ASCENSÃO SE INICIOU.

Fique equilibrado no Caminho do Centro e siga o fluxo do UM dentro do Coração de Gaia. Sinta o modo como o Fluxo banha a terra, preenche o céu, penetra a Terra e acalma as águas. Não há necessidade de se preparar para um período de dificuldades, pois tudo o que o deixa, é suposto para ir.


Você deve adentrar a Promessa de mãos vazias e de coração aberto. A força gigante do seu amor irá magnetizar tudo o que é precioso que foi retido para a longa jornada de sua alma à matéria.


Mantenha-se como um cometa, uma bola incandescente de luz com uma longa cauda. Em sua cauda, está tudo o que você tem tocado com amor, assim como todo o amor que o tem estimulado este dia.


Encha sua consciência com o amor que você sempre sentiu por Gaia – o planeta que você é – nesta e em cada uma de suas encarnações. Sinta como ela o abraça em seu retorno.


Negue a sua atenção para qualquer temor. É apenas uma ilusão. Permita que o Amor, Luz, Paz e Unidade encham o seu SABER como a VERDADE de tudo o que é.


Para terminar, nós os Arcturianos, lembramo-lo de encontrar as suas respostas dentro e SAIBA que os únicos testes restantes são os que você cria por si mesmo.

Perdoe tudo o que já passou.

Aceite tudo o que você já experimentou.

Acredite no que você sabe.

E se entregue ao Fluxo.

Os Arcturianos

_____________

Esta mensagem foi canalizada e escrita por Susan Caroll.

Traduzida por Thiago Freitas para Anjo de Luz

Email: thiagofb@yahoo.com

A viagem através do Corredor Arcturiano continua no próximo mês.

Visite www.multidimensions.com

Obrigado pelo regresso à nossa viagem através do Corredor Arcturiano. Se você é novo em nosso “Ensaio Geral para 2012,” por favor encontre os passos anteriores nos boletins arquivados em: http://www.multidimensions.com/TheVision/integration_newsletters.html. O primeiro boletim deste processo foi em 11 de setembro de 2008.

Para enviar um e-mail ao canal, Suzan Caroll, escreva para suzancaroll@multidimensions.com

Você também pode visitar o site: www.suzanneliephd.com para descobrir mais sobre o seu Eu Multidimensional em sua vida diária e para ver os seus olhos através da Alma.

Este texto em .doc
FONTE: http://www.anjodeluz.com.br/

O QUE DIZ A CIÊNCIA


OS RAIOS CÓSMICOS

Raios Cósmicos são partículas extremamente penetrantes, dotadas de alta energia, que se deslocam a velocidades próximas a da luz no espaço sideral. Portanto, “raios” cósmicos não são raios, mas partículas de átomos.

Essas partículas ao penetrarem na Terra, colidem com os núcleos dos átomos da atmosfera, cerca de 10 mil metros acima da superfície do planeta, e dão origem a outras partículas, formando uma “chuva” de partículas com menos energia, os chamados “raios” cósmicos secundários.

O número de partículas que chegam ao nível do mar, em média, é de uma partícula por segundo em cada centímetro quadrado.

Os raios cósmicos secundários são inofensivos à vida na Terra, mas os raios cósmicos primários são perigosos para os astronautas no espaço.

A Terra nos protege da maior parte da radiação que preenche o Universo. O campo magnético terrestre expulsa ou aprisiona partículas nocivas de alta energia emitidas pelo Sol. As partículas aprisionadas espiralam indefinidamente entre os pólos norte e sul magnéticos, formando os cinturões de radiação de Van Allen. A atmosfera da Terra espalha e absorve os raios cósmicos – protegendo ainda mais a vida.

No espaço existem duas fontes principais de radiação. A primeira, e mais óbvia, é o Sol. Na dinâmica solar, há períodos em que o astro se mostra relativamente “calmo” e outros em que se comporta como um monstro furioso, alternando esses dois comportamentos em ciclos de aproximadamente 11 anos. No máximo do ciclo, surgem manchas solares por toda a superfície solar. Flares e emissão de massa coronal (CME, na sigla em inglês) ocorrem com freqüência, lançando no espaço nuvens de bilhões de toneladas de material altamente energético.

Um flare ocorre quando a energia magnética contida no Sol se acumula – formando um pico próximo da superfície -, explode e desencadeia a liberação repentina de partículas de alta energia pelo espaço afora.
As CMEs ocorrem quando as linhas do campo magnético se rompem. Uma grande CME pode lançar bilhões de toneladas de partículas carregadas e de gás quente para o espaço a centenas de milhares de quilômetros por hora.

Durante os dois tipos de eventos, as partículas mais energéticas atingem a Terra em poucos minutos. Em períodos em que a atividade solar está no máximo, vários flares e CMEs entram em erupção diariamente. Mas mesmo períodos de baixa atividade não garantem segurança total para os astronautas. A atividade solar, embora baixa em alguns momentos, nunca cessa.

A segunda, e mais previsível, fonte de radiação do espaço são os raios cósmicos galácticos. Supostamente produzidos durante explosões de supernovas, essas partículas bombardeiam o Sistema Solar vindas de todas as direções. A taxa do fluxo dessas partículas é baixa, mas elas viajam a altíssimas velocidades. Os raios cósmicos são constituídos de prótons, núcleos de elementos pesados de alta energia. Os núcleos que podem afetar significativamente as funções biológicas vão desde o hidrogênio até o ferro. Núcleos pesados – como o ferro – são os mais perigosos.

“Os raios cósmicos galácticos são formados por partículas altamente ionizadas e podem prejudicar seriamente os tecidos”, afirma Cary Zeitlin, especialista em radiação do Lawrence Berkeley National Laboratory, em Berkeley, Califórnia. “No entanto, o fluxo dessas partículas é muito baixo.” Mesmo um evento de partículas solares intenso produz muito poucas partículas tão perigosas. Uma partícula isolada, gerada por um evento solar típico, produz danos muito menores que um íon pesado gerado por raios cósmicos. Mas, além dessas partículas, o Sol produz outras.

PREVISÕES PESSIMISTAS

Destruição da Terra é certa, diz cientista


Mais cedo ou mais tarde, uma catástofre vinda do espaço eliminará toda a vida na Terra. Esta é a opinião do cientista Aaaron Dar, do Instituto de Pesquisa Espacial Technion, de Israel.

Com base nas mais recentes estatísticas disponíveis, ele alega que uma estrela com uma massa gigantesca no fim do seu período de vida entrará em colapso, formando um buraco negro e liberando uma onda de radiação destrutiva, que esterilizaria qualquer planeta em seu caminho – inclusive a Terra.

Embora a maior parte dessas ondas não deva acertar a Terra, estudos sugerem que isso deve acontecer pelo menos uma vez em todos os planetas em intervalos de cem milhões de anos – curiosamente o intervalo das grandes destruições ocorridas na Terrra.

“É uma certeza, as escalas de tempo são comparáveis às extinções em massa registradas na história geológica da Terra”, disse Dar.

Maiores que o Sol

Estrelas com massas gigantes, superiores à do Sol, estão espalhadas por toda a galáxia. Acredita-se que quando entrarem em colapso, no fim de suas vidas, elas emitam uma intensa onda de radiação, chamada raios-gama, no espaço.

A força desses raios e das partículas subatômicas que os acompanharão é tão grande que eles podem ter uma influência decisiva na vida da galáxia à que pertence a Terra.

“Se uma onda como essa atingir a Terra, os efeitos serão completamente devastadores, algo que ninguém poderia imaginar”, afirmou o cientista israelense.

No lado da Terra que estiver sujeito à explosão, ondas chamuscantes vão atravessar a atmosfera e chegarão à superfície.

Apenas momentos depois da chegada da radiação, a temperatura atmosférica vai começar a subir rapidamente.

Todo material orgânico na superfície da Terra começará a queimar. Nesse estágio, os sobreviventes podem se esconder em prédios e abrigos. Mas o pior ainda estará por vir.

A primeira explosão de raios-gama vai durar uma fração de segundo. Momentos depois, virão os raios cósmicos, que inundarão nosso planeta por dias. Eles não deixarão nenhum lugar para nos escondermos.

Os raios cósmicos são partículas altamente energéticas que viajam pelo espaço com uma velocidade semelhante à da luz.

Esses raios assolarão a atmosfera, depositando vastas quantidades de energia e criando um enxame de partículas destrutivas “filhas”.

Tais partículas vão penetrar milhares de metros de pedras de forma que poucas cavernas oferecerão proteção e até mesmo criaturas do fundo do mar serão afetadas por doses letais de radiação.

Os ecossistema da Terra serão destruídos. “Os poucos que sobreviverem desejarão ter morrido”, disse Dar. “Eles vão lutar, desamparadamente, em um planeta destruído.”

O cientista ressalta que é consistente acreditar que muitas das grandes extinções que pontuaram a história da Terra foram causadas por um fluxo de radiação devastadora do espaço.

No momento os astrônomos não sabem que estrela monitorar. Estrelas visíveis do Hemisfério Sul, como a gigante Eta Carinae, devem explodir em algum momento dos próximos 1 milhão de anos. Essa, pelo menos, não está apontando para a direção da Terra.

Sem dúvida existe pelo menos uma que está, mas os astrônomos ainda não a encontraram.

PREVISÕES OTIMISTAS


Não haverá tempestade solar assassina

do site http://eternosaprendizes.com

A Terra tem evoluído ao longo das eras rodeada por um ambiente altamente radioativo. O Sol lança constantemente partículas de alta energia, a partir da sua superfície dominada pelo magnetismo, através do vento solar. Durante o máximo solar (quando o Sol está em sua etapa mais ativa no ciclo solar de 11 anos), a Terra pode ter o infortúnio de estar na mira de uma explosão com a energia equivalente a 100 bilhões de vezes a bomba de Hiroshima na II Guerra Mundial. Esta explosão é conhecida como tempestade solar e seus efeitos podem causar alguns problemas aqui na Terra.

Antes de revermos aqui os efeitos colaterais na Terra, vamos analisar o comportamento do Sol e compreender as razões dele se enfurecer tanto cada 11 anos, nos períodos de “máximo solar“.

O Ciclo Solar

O Sol apresenta um comportamento cíclico que alterna períodos de calmaria (mínimo solar) com períodos de intensa atividade (máximo solar).

Primeiro e o mais importante: o Sol tem um ciclo natural de aproximadamente 11 anos. Durante o tempo de vida de cada ciclo, as linhas de campo magnético do Sol são arrastadas ao redor do corpo solar mediante uma rotação diferenciada no equador solar. Isto significa que o equador solar gira mais rapidamente que os pólos magnéticos. Conforme isto prossegue, o plasma solar arrasta as linhas de campo magnético ao redor do Sol, provocando tensão e acumulando energia (ilustrado na figura acima). Conforme aumenta a energia magnética, formam-se ondas no fluxo magnético, forçando-as mover-se até a superfície. Estas ondas são conhecidas como bolhas coronais as quais se fazem mais numerosas durante os períodos de pico solar.

Aqui entram em jogo as manchas solares. Conforme as bolhas coronais continuam surgindo na superfície, as manchas solares aparecem também, situadas na base das bolhas. As bolhas coronais têm o efeito de empurrar as camadas mais quentes da superfície do Sol (a fotosfera e a cromosfera) para os lados, expondo a zona de convecção mais fria (as razões de porque a superfície solar e a atmosfera estão mais quentes que o interior se deve o fenômeno de aquecimento da corona). Conforme a energia magnética se acumula, pode-se esperar que cada vez maior fluxo magnético seja forçado a unir-se. Aqui é onde tem lugar o fenômeno de re-conexão magnética.

A re-conexão é o gatilho do acionamento de explosões solares de diversos tamanhos. Tal e como já explicado em outro artigo da Universe Today (”Fluxos coronais quentes podem ser a chave para as explosões solares“), as explosões solares variam desde as “nano tempestades” até as “explosões da classe-X” que são os eventos solares mais energéticos. Calcula-se que as maiores explosões solares podem gerar a energia de 100 bilhões de explosões atômicas, mas não deixe que este número o preocupe. Para começar, estas explosões têm lugar na corona baixa, próxima da superfície solar, ou seja, há quase 150 milhões de quilômetros de distância (1 UA – Unidade Astronômica). A Terra não está nem ao menos perto dessas erupções.

Quando as linhas de campo magnético solar liberam uma enorme quantidade de energia, o plasma solar se acelera e fica confinado dentro do ambiente magnético (o plasma solar é formado de partículas superaquecidas iônicas como prótons, elétrons e alguns elementos leves como os núcleos de Hélio). Quando as partículas do plasma interagem, raios-X podem ser gerados se as condições necessárias estão adequadas, tornando-se possível o evento denominado bremsstrahlung. (O bremsstrahlung tem lugar quando as partículas carregadas interagem, dando como resultado uma emissão de raios-X). Isto pode criar uma tempestade de raios-X (ou rajadas de Raios-X).

O PROBLEMA COM AS RAJADAS DE RAIOS-X

O maior problema com uma rajada de raios-X é que temos bem pouco tempo de aviso prévio para detectar quando esse evento irá acontecer, uma vez que os raios-X viajam na velocidade da luz (na imagem acima temos uma rajada que quebrou recordes em 2003). Os raios-X de uma tempestade de classe-X alcançam a Terra em cerca de oito minutos. Quando os raios-X impactam nossa atmosfera, estes são absorvidos pela camada mais externa, conhecida como ionosfera. Como já se pode deduzir por esse nome, esta é uma camada altamente carregada e reativa, repleta de íons (núcleos atômicos e elétrons livres).

Durante eventos solares tão potentes, os índices de ionização entre os raios-X e os gases atmosféricos se incrementam nas camadas D e E da ionosfera. Isto provoca um aumento súbito na produção de elétrons nestas camadas. Estes elétrons podem causar interferências na passagem das ondas de rádio através da atmosfera, absorvendo os sinais de rádio de onda curta (os da faixa de freqüência alta), bloqueando possivelmente as comunicações globais. Estes eventos são conhecidos como “Perturbações Ionosféricas Súbitas” (SID – “Sudden Ionospheric Disturbances“) e são comuns durante os períodos de alta atividade solar. É interessante apontar que o incremento na densidade de elétrons durante uma SID reforça a propagação das ondas de rádio de Muito Baixa Freqüência (VLF), um fenômeno que os cientistas usam para medir a intensidade dos raios-X que procedem do Sol.

EJEÇÕES DA MASSA CORONAL?

As emissões de explosões solares de raios-X são só uma parte da história. Se as condições são adequadas, pode ser produzida uma ejeção de massa coronal (CME – “coronal mass ejection“) na área da tempestade (embora esses fenômenos possam ocorrer de forma independente). As CMEs são mais lentas que os raios-X em sua propagação, mas seus efeitos globais aqui na Terra podem ser mais problemáticos. As CMEs não viajam a velocidade da luz, mas ainda assim viajam bem rápido. As CMEs podem chegar a uma velocidade de 3,2 milhões de km/h, o que significa que podem alcançar-nos em até 48 horas (1 UA ≈ 149,6 milhões de km).

Aqui é onde se põe grande parte do esforço na previsão do clima espacial. Temos um punhado de naves situadas entre a Terra e o Sol no Ponto de Lagrange Terra-Sol (L1) com sensores a bordo para medir a energia e intensidade do vento solar. Quando uma CME passa através de sua posição, podem-se medir diretamente as partículas energéticas e os campos magnéticos interplanetários (CMI). Uma missão conhecida como Explorador de Composição Avançado (ACE – Advanced Composition Explorer) orbita no ponto de Lagrange L1 e proporciona aos cientistas com 1 hora de antecedência informes sobre a situação da aproximação de uma CME. ACE forma parceria com o Observatório Heliosférico e Solar (SOHO – SOlar and Heliospheric Observatory) e com o Observatório de Relações Solares e Terrestres (STEREO – Solar TErrestrial RElations Observatory). Assim as CMEs podem ser rastreadas desde a corona inferior até o espaço interplanetário, através do ponto L1 até a Terra. Estas missões solares estão trabalhando ativamente juntas para proporcionar as agências espaciais previsões antecipadas sobre uma CME dirigida contra a Terra.

Então, o que acontece se uma CME alcança a Terra? Para começar, grande parte do impacto depende da configuração magnética do CMI (desde o Sol) e do campo geomagnético da Terra (a magnetosfera). Em geral, se ambos estão alinhados com suas polaridades apontando na mesma direção, é altamente provável que a CME seja repelida pela magnetosfera. Neste caso, a CME se deslizará sobre a Terra, provocando algumas mudanças de pressão e distorção na magnetosfera, mas de qualquer forma a CME será defletida sem problemas. Entretando, se as linhas dos campos magnéticos do CMI e da magnetosfera estão em uma configuração antiparalela (quero dizer: as polaridades magnéticas estão em direções opostas), pode então ocorrer uma re-conexão magnética nas bordas da magnetosfera. Neste evento, o CMI e a magnetosfera se fundem, conectando o campo magnético terrestre com o do Sol. Isto nos proporciona um dos eventos mais inspiradores da natureza: as auroras polares.

SATÉLITES EM PERIGO

Quando o campo magnético de uma CME conecta com o da Terra, são injetadas partículas de alta energia na magnetosfera. Devido à pressão do vento solar, as linhas de campo magnético do Sol se centrarão na Terra, curvando-se atrás do nosso planeta. As partículas injetadas no “lado diurno” serão canalizadas para as regiões polares da Terra interagindo com nossa atmosfera e gerando a luz através das auroras. Durante esta época, o Cinturão de Van Allen ficará “super carregado eletricamente”, criando uma região ao redor da Terra que pode causar problemas aos astronautas desprotegidos e nos satélites sem escudos. Para mais detalhes, leia: “Radiation Sickness, Cellular Damage and Increased Cancer Risk for Long-term Missions to Mars” e “New Transistor Could Side-Step Space Radiation Problem.”

Como se não fosse o bastante essa radiação do Cinturão de Van Allen, os satélites poderiam sucumbir-se à ameaça de uma atmosfera em expansão. Como seria de esperar, se o Sol golpear a Terra com raios-X e CMEs, haverá um aquecimento inevitável e uma expansão global da atmosfera, possivelmente invadindo as altitudes orbitais dos satélites. Se os controladores das agências espaciais não ficarem atentos, o efeito de aero frenagem sobre os satélites poderá provocar a sua desaceleração e conseqüente queda. Lembro que o processo de aero frenagem tem sido usado de forma extensiva como uma ferramenta de vôo espacial para frear as naves quando são postas em órbita ao redor de outro planeta. Assim isto terá um efeito adverso sobre os satélites que orbitam a Terra uma vez que qualquer diminuição da velocidade orbital poderá provocar sua reentrada indesejável na atmosfera.

TAMBÉM SENTIMOS OS EFEITOS NO SOLO


Embora os satélites estejam na linha de frente, se ocorrer um poderoso aumento na quantidade de partículas energéticas que entram na atmosfera, poderemos sentir os efeitos adversos aqui sobre a Terra também. Devido à geração de raios-X a partir dos elétrons da ionosfera, algumas formas de comunicação podem entrecortar-se (ou serem eliminadas por completo), mas isto não é tudo que pode acontecer. Nas regiões em latitudes particularmente altas, uma vasta corrente elétrica, conhecida como “electrojet“, pode formar-se na ionosfera graças a estas partículas entrantes, uma vez que uma corrente elétrica advém de um campo magnético. Dependendo da intensidade da tormenta solar, as correntes elétricas podem ser induzidas aqui no solo, sobrecarregando eventualmente as redes elétricas globais. Em 13 de março de 1989, seis milhões de pessoas sofreram um apagão na região de Quebec no Canadá depois de um enorme aumento na atividade solar causado por correntes induzidas no terreno. Quebec ficou paralisada durante nove horas enquanto seus engenheiros trabalhavam na solução do problema.

PODE NOSSO SOL PRODUZIR UMA TEMPESTADE ASSASSINA?

A resposta curta a esta pergunta é “não“.

A resposta longa para essa questão é um pouco mais elaborada. Embora uma tempestade solar dirigida diretamente contra nós, possa provocar problemas secundários tais como danos nos satélites, lesões em astronautas sem proteção e apagões, a tempestade em si não é bastante potente para destruir a Terra, e certamente, não em 2012. Acrescento que, em futuro distante, quando o Sol comece a esgotar seu hidrogênio do núcleo e se converta em uma gigante vermelha, iremos ter um verdadeiro inferno no planeta Terra, mas isso só ocorrerá dentro de 5 ou mais bilhões de anos. Existe contudo até a probabilidade remota de que várias explosões de classe-X sucessivas sejam lançadas pelo Sol e por pura má sorte uma série de CMEs nos impactem conjuntamente com explosões de raios-X, mas tal nunca será bastante potente como para superar nossa magnetosfera, ionosfera e a grossa atmosfera abaixo que nos protege há bilhões de anos.

Diferentemente do nosso Sol, que é bem pacato, as explosões solares “assassinas” têm sido observadas em outras estrelas. Em 2006, o observatório Swift da NASA viu a maior tempestade solar jamais observada há 135 anos luz de distância. Com uma liberação de energia estimada em 50 quadrilhões (milhões de trilhões) de bombas atômicas, uma tempestade como a de II Pegasi haveria aniquilado a maior parte da vida na Terra se nosso Sol tivesse disparado tal tormento. Obviamente, nosso Sol não é uma II Pegasi. II Pegasi é uma violenta gigante vermelha com uma companheira binária em uma órbita muito próxima. Acredita-se que a interação gravitacional com sua companheira binária além do fato de que II Pegasi é uma gigante vermelha são as causas desta tempestade energética descomunal.

Os profetas do apocalipse gostam de apontar o Sol como uma possível fonte assassina para a Terra, mas o fato é que nosso Sol é uma estrela muito estável. Não possui uma binária companheira (como II Pegasi), tem um ciclo conhecido (de aproximadamente 11 anos) e não há provas de que nosso Sol tenha contribuído em nenhuma das extinções massivas no passado com uma enorme tempestade dirigida contra a Terra. Já foram observadas grandes explosões solares (tal como a tempestade de luz branca de Carrington em 1859)… mas a humanidade ainda continua tranqüila por aqui.

Para esfriar mais ainda o assunto, os físicos solares (em 2008 e 2009) estão surpreendidos pela carência inesperada da atividade solar no início do ciclo solar #24, o que tem levado alguns cientistas a especular que poderíamos estar próximos de um novo mínimo de Maunder e uma “Pequena Idade do Gelo“. Isto está em total oposição com a previsão anterior dos físicos solares da NASA feita em 2006 que estimaram que este ciclo fosse tornar-se extraordinário.

Isto me leva a concluir que ainda temos um longo caminho a percorrer na previsão das explosões solares. Embora a previsão do clima espacial esteja melhorando, só dentro de alguns anos estaremos capacitados a monitorar o Sol com uma precisão suficiente para dizer com alguma certeza quão ativo será o ciclo solar. Por ora, no que tange a profecia, previsão ou mito, não existe uma forma física de dizer se a Terra será golpeada por alguma tempestade, muito menos um enorme evento em 2012. Mesmo que uma grande tempestade venha a nos assolar, tendo em vista o máximo solar que está previsto para 2012, tal jamais será um evento que cause extinção massiva. Sim, os satélites poderão ser danificados, provocando problemas secundários como perda do serviço global de GPS (o que poderia interromper o controle de tráfico aéreo, por exemplo) ou as redes energéticas nacionais poderão sofrer sobrecargas causadas por “electrojets” de auroras, mas nada mais extremo que isso.

Mas espera aí! Para complicar esse problema, os profetas do apocalipse também têm afirmado que incrivelmente uma grande tempestade solar nos impactará justamente quando o campo magnético da Terra se enfraquece e se inverte, deixando-nos sem proteção ante os estragos de uma CME… As razões pelas quais isto também não vai ocorrer em 2012 já mereceram seu próprio artigo: “2012: Não haverá inversão dos pólos magnéticos da Terra“.

do site http://eternosaprendizes.com

sites visitados:

http://www.auger.org/index.html

http://eternosaprendizes.com
FONTE: http://www.anjodeluz.com.br/

Postagens populares

O Blog Filosofia Esotérica Brasil é de mesma autoria do Consciência Estelar, vote para melhor blog!

O QUE PROCURA? ACHE POR AQUI!