Blog destinado a quem se interessa pelos seguintes temas: Sementes Estelares, Trabalhadores da Luz, Confederação Intergalactica, Planetas, Civilizações de outros Planetas, Avatares Cósmicos, Criador e Criação, Hierarquia Arcangélica, Histórias dos Universos, Hierarquias Cósmicas, Extraterrestres, Intraterrestres, Raças Cósmicas, Seres Etéreos, Tecnologias Cósmicas, Medicina Cósmica, Astronomia (real), Planos Cósmicos para a Terra, NOVA ERA e 2012

SIGAM A NOSSA TROPA ESTELAR!

ULTIMOS POSTS DO BLOG FILOSOFIA ESOTERICA

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

O PERIGO DAS CRENÇAS INTERNAS




Crenças são informações internas que surgem independente de sua vontade. Seu pensamento pode andar por caminhos que você mesmo nem imagina.


Temos muitos pensamentos que não são bons para nós mesmos, são prejudiciais, e por que ainda assim continuamos pensando essas coisas? Por que são pensamentos automáticos. Eles vêm do inconsciente.





"Nossos pensamentos são frutos das nossas crenças internas que se manifestam em nossas realidades externas" - Felício Bombonato


Tudo o que a gente faz na vida é baseado no que a gente acredita, ou seja, baseado em nossas crenças internas. Tudo. Funcionamos baseado em nossas crenças internas, nem sempre o raciocínio lógico participa das nossas escolhas, das nossas decisões. Toda decisão é baseada em suas crenças internas.


Cada crença interna é baseada em nossas representações mentais pessoais. Esta é a nossa forma de ver o mundo, e é diferente para cada pessoa.





Dois irmãos criados juntos têm perspectivas diferentes um do outro, pois têm aprendizados diferentes, tem experiências diferentes. Todo sentimento, todos os nosso valores, nossa ética e moral, é determinado pelo modo como a gente interpreta o mundo através das nossas crenças internas.


Todos nós ao longo das nossas vidas vamos adquirindo crenças, algo em que acreditamos e que muitas vezes nos impedem de superar e de obter mais liberdade em nossas escolhas. Essas crenças são designadas por crenças internas limitadoras.


As crenças são geradas pelas nossas vivências desde o momento em que nascemos. Durante a nossa infância e parte da nossa juventude nós somos basicamente “fruto” do meio em que estamos inseridos, da educação dos nossos pais, professores, da influência dos nossos amigos, familiares e até mesmo das instituições religiosas.






"Tudo que nós pensamos e sentimos, consciente ou inconsciente, nós criamos na nossa realidade pessoal. Mais cedo ou mais tarde. Inevitável. Tudo que emanamos volta para nós. Tudo que semeamos, colhemos." - Prof. Hélio Couto
As pessoas que estão crescendo são sempre capazes de mudar sua maneira de pensar à respeito das coisas. Pessoas que estão querendo se desenvolver precisam de espaços novos em sua mente para assimilar idéias novas.





Assim, a medida que estas pessoas vão crescendo e se desenvolvendo, convicções antigas, conceitos velhos, vão sendo destruídos e deixam de funcionar para elas. Assim são os que estão a procura do Crescimento e Desenvolvimento Espiritual, desconstroem crenças impostas e refutam aquilo que não lhes serve mais.



O maior perigo das crenças internas, é que elas funcionam em nosso subconsciente como verdades absolutas, incontestáveis. Somos capazes de matar ou morrer para defendê-las. Elas nos cegam para qualquer argumento seja ele racional ou emocional. Ficamos acorrentados a um emaranhado de "suposições" que nos fizeram engolir goela abaixo, sem nenhum tipo de questionamento.





Quer entender como uma crença funciona? Você jamais sairia por ai, reverenciando e adorando uma vaca, não é mesmo?


No entanto, na religião Hindu, ela é considerada sagrada. Textos antigos, como os Vedas, compilados por volta de 1500 a.C., associam a vaca à fertilidade e a divindades como Krishna, que teria sido pastor.


Já um hinduísta, acha completamente insano alguém acreditar na transmutação da água e do pão, no sangue e corpo de Cristo.





Para um budista, ajoelhar-se e orar voltado para Meca ao Deus Alá, em nada difere da crença dos egípcios no Deus Rá (O Deus do Sol) e todo seu ritual de adoração.

E para os ateus, não há nenhuma diferença entre a inquisição católica e a jihad do "Estado Islâmico".




inquisição católica Jihad do "Estado Islâmico"


Quem estaria certo?


Crenças internas são pressupostos de uma realidade na qual acreditamos e que não são verdades absolutas.


Algumas crenças, por mais absurdas que sejam, são passadas de geração em geração. Elas estão tão arraigadas em nossas vidas, que não ousamos questioná-las.





A sociedade ocidental desenvolveu-se sob a influência da doutrina da Igreja Cristã, cujos valores preponderam após o Sec.IV. Bilhões de pessoas, ao longo de centenas de gerações, cresceram escutando líderes e pessoas influentes divulgarem suas crenças.


Os Gurus de seitas, são hábeis em manipular o conjunto de crenças das pessoas. Eles sempre estão criando novos sistemas interativos, onde as pessoas se sintam “escolhidas”, “tocadas”, e sentem o “chamado”.

A melhor maneira de incutir crenças em um grande numero de pessoas, é através do medo. O medo é um excelente instrumento de manipulação. O medo sempre foi utilizado pelas religiões para garantir seus fiéis, o “medo do inferno, da danação eterna”, medo de pecar, medo da blasfema, da heresia. Também a culpa, que é outra emoção, é bem explorada pelas igrejas, para enfatizar suas crenças.





Dessa forma, fica difícil identificar, quais são "suas" crenças internas, e quais são as crenças adquiridas.

Para entender esse processo, temos que tomar consciência do que se passa em nosso inconsciente. Se não identificarmos estas crenças disfuncionais acabamos funcionando como que controlados por um controle remoto invisível.


Mas, é possível tomar as rédeas da sua mente e conseqüentemente da sua jornada de vida. Como?


Um dos maiores presentes que podemos ter na vida, é saber que podemos mudar as nossas crenças. Este conhecimento é revolucionário, extraordinário e muito libertador, saber que podemos realmente mudar as nossas crenças, principalmente aquelas que foram inúteis e permaneceram inalteráveis dentro de nós durante anos.




O poder das crenças, é realmente avassalador. As crenças estão enraizadas na nossa mente e podem afetar a nossa forma de raciocinar, mas também podem alterar a forma como conduzimos nossa vida, o que prova o extremo poder que elas possuem.




Todos temos muitas crenças, e aprender de onde vêm e que elas desempenham um papel importante na nossa vida é fundamental para começar a mudá-las. Elas são uma parte do que somos como pessoa.


É difícil modificar aquilo a que temos estado ligados grande parte da nossa vida, mas temos de começar a produzir crenças mais elevadas e parar de defender as meias-verdades que nos impedem de ver o conjunto enorme de possibilidades de tudo que somos ou podemos ser.




A palavras chave aqui é "questionar"!


Isso mesmo, questione tudo a sua volta, não acredite em nada até experimentar por conta própria. Não dê a ninguém o poder sobre suas crenças. Questione!


Questione e procure a resposta dentro de você, ela jamais estará fora. Pare de defender as verdades que lhe foram impostas, e assuma as rédeas de suas crenças.

Lembre-se: O que a mente acredita, o corpo revela.


Crenças são limitações da visão e prisões da mente. Nós acreditamos demais e sentimos de menos. Apenas quando nós seguimos nossos sentimentos, ao invés de negá-los, nós conseguimos romper as amarras que os manipuladores possuem sobre tantas psiques.




Vá com seu fluxo natural sem medo do que os outros vão pensar. A forma mais poderosa de nos libertarmos das crença e medo, é celebrar nossa própria individualidade, permitir que todos façam o mesmo, e nunca procurar impor aquilo que acreditamos aos outros.


FONTE: http://muitoalem2013.blogspot.com.br/

Luzes do Mundo - Ken Wilber





Ken Wilber - A integração do tudo






Ken Wilber, um dos maiores filósofos e pensadores contemporâneos, considerado o fundador do campo de Estudos Integrais, é uma das mais claras mentes e mais inteligentes vozes da atualidade. Ele foi chamado de o "Einstein da Consciência" por sua síntese das mais importantes tradições psicológicas, filosóficas e espirituais do Oriente e do Ocidente.


Ken Wilber é um famoso pensador e criador da Psicologia Integral, e de forma mais geral do Movimento Integral. Nascido em Oklahoma City, EUA, em 1949, viveu em diversas cidades ao longo de sua vida já que seu pai pertencia à força aérea americana.





Assim que completou o segundo grau em Lincoln, Nebrasca, começou o curso de Medicina na universidade de Duke.


Logo no primeiro ano de curso perdeu o interesse pela carreira médica e começou a estudar psicologia e filosofia por conta própria. Posteriormente, voltou a Nebraska e completou um mestrado em bioquímica, abandonando em seguida a carreira acadêmica para se dedicar aos estudos e a prática da meditação.


Até 1998 Wilber era tido como uma figura arredia optando por não lecionar e não aparecer em eventos sociais. Preocupava-se estritamente em escrever e conduzir suas pesquisas.


Foi nesse ano que fundou o Integral Institute para fomentar pesquisa, educação e filantropia. O Integral Institute hoje desenvolve um trabalho em 26 áreas do conhecimento humano e conta com mais de 400 pesquisadores.





Posteriormente, criou uma universidade e um centro dedicado à discussão ecumênica, atuando assim por meio de três frentes institucionais.


Wilber e a equipe de assessoria política do Integral Institute trabalharam com Al Gore, Clinton, Bush e Tony Blair. Gore e Clinton, por exemplo, declararam publicamente a admiração pela obra wilberiana.





Em seus primeiros estudos, Wilber chegou a um impasse. Ao final da década de 1960, Wilber, então com 20 anos, interessou-se por compreender o desenvolvimento humano e empreendeu um exaustivo e intensivo estudo das principais escolas de psicologia ocidentais e das tradições de sabedoria orientais e ocidentais, que deu origem ao seu primeiro livro, O Espectro da Consciência, escrito aos 23 anos.





A evolução da obra escrita de Wilber é indissociável do amadurecimento do próprio filósofo, marcado por grandes rupturas, tanto teóricas quanto pessoais.


"Se eu quero conhecer o ser humano, o caminho que eu vou seguir é tentar conhecê-lo através de todo o conhecimento que ele produziu seja na área da ciência, filosofia, artes ou da religiosidade." - Ken Wilber


Essa é uma proposta extremamente ambiciosa que ele fez e está cumprindo até hoje. Wilber deu início a um estudo das escolas de psicologias ocidentais e das tradições da sabedoria oriental.


Àquela época, surgiu-lhe uma contradição aparentemente insolúvel: Freud afirmava que, para ser feliz, o ser humano deve fortalecer o ego e Buda dizia que, para ser feliz, deve morrer para o ego.


São propostas aparentemente antagônicas. Nesse ponto surge a genialidade do Wilber. A linha mestra do pensamento dele: "eu não posso aceitar que tanto Freud como Buda, que são dois lideres iluminados da humanidade, possam ter errado totalmente", nascendo então a premissa fundamental que rege o pensamento wilberiano: todos estão certos, mas parcialmente certos; ninguém possui a verdade completa (inclusive o próprio Wilber).






A originalidade de Wilber está na percepção profunda desse impasse. Diante de dois gênios da humanidade, ele não conseguia aceitar que um deles pudesse estar completamente errado.


Todas as verdades são parciais. Então, tudo que o ser humano gerou em termos de conhecimento em seu sentido mais amplo, é uma verdade parcial.



Tal insight norteou todo o pensamento wilberiano no sentido de que ninguém erra 100%, todos tem alguma contribuição para dar. Seu esforço intelectual, então, se concentrou na tarefa de como integrar as verdades parciais de quase todos os saberes da humanidade (da física à sociologia) num sistema explicativo, numa matriz que respeite a hierarquia e o senso de proporção de cada proposta.





Sua obra concentra-se basicamente na integração de todas as áreas do conhecimento (ciência, arte, filosofia, espiritualidade).

"A pessoa iluminada de hoje e de 2.000 anos atrás, é igualmente livre. Mas agora, pela primeira vez na história humana, temos o potencial para a mais completa experiência espiritual, do que nunca antes foi possível. " -Ken Wilber


A preocupação em unir ciência e religião apoia-se em sua própria experiência e na de diversos místicos de algumas das grandes tradições de sabedoria, tanto ocidentais quanto orientais; aliado à sua releitura transpessoal da psicologia analítica de Carl Gustav Jung.


Mesmo sendo considerado um fundador da escola da Psicologia Transpessoal, desde então ele se dissociou dela. Em 1998 Wilber fundou o Instituto Integral (Integral Institute), organização que reúne os inúmeros pensamentos nas questões sobre a ciência e a sociedade de maneira integral.





Ele tem sido pioneiro no desenvolvimento da Psicologia Integral, da Política Integral - e, mais recentemente, de uma nova Espiritualidade Integral.


Daí em diante, seu trabalho centrou-se na busca de um sistema coerente que integrasse as verdades parciais das diferentes áreas do saber numa verdade que, embora ainda parcial, fosse mais abrangente.


Em 1995, após mais de uma dezena de livros publicados, ele apresentou os fundamentos do Modelo Integral na obra seminal Sex, Ecology, Spirituality.


No dia 4 de Janeiro de 1997, o jornal alemão Die Welt declarou Wilber como "o maior pensador no campo da evolução da consciência".


Até 1998 Wilber trabalhou praticamente de forma solitária. Nesse ano, recebeu uma doação de um milhão de dólares de um grupo de empresários norte-americanos que se encantou com suas idéias. Esse fato foi extremamente importante para a divulgação e desenvolvimento do Modelo Integral: ele fundou o Integral Institute.



Alguns pensadores integrais, membros fundadores desse Instituto, são: Warren Bennis, Fred Kofman, Deepak Chopra, Robert Kegan, Francisco Varela, Roger Walsh, Frances Vaughan, M ichael Murphy, Larry Dossey, Joe Firmage, George Leonard, Tami Simon, Alex Grey, Stuart Davis, Ed Kowalczyk, etc.






O que torna Ken Wilber especialmente relevante no mundo de hoje, é que ele é indiscutivelmente o criador da primeira filosofia verdadeiramente abrangente ou integrativa. Como o próprio Wilber diz: "Eu acredito que essa é uma das primeiras filosofias mundiais críveis."


Wilber conseguiu integrar todas as áreas do conhecimento em uma poderosa e revolucionária metateoria denominada Modelo Integral ou Sistema Operacional Integral.



Seu universo de estudo inclui: Física, Química, Biologia, Medicina, Neurofisiologia, Bioquímica, Ecociências, Teoria do Caos, Ciências Sistêmicas, Complexidade, Matemática, Política, Economia, Sociologia, Negócios, Filosofia, Arte, Psicologia, Antropologia, Mitologia e Escolas Contemplativas e Místicas Orientais e Ocidentais, entre outras.

A Abordagem Integral é uma coerente organização, coordenação e harmonização de todas as relevantes práticas, metodologias e experiências, disponível para os seres humanos. Ken Wilber afirma: " Você não pode, realisticamente, honrar vários métodos e campos, sem mostrar como eles se encaixam. É assim que se faz uma verdadeira filosofia mundial. "





Até o presente, Wilber escreveu 23 livros e centenas de artigos e ensaios, muitos dos quais foram publicados em mais de 30 idiomas (inclusive o Português). Ele é o escritor acadêmico mais traduzido dos EUA.


Algumas de suas notáveis obras, já editadas em Português, são: O Espectro da Consciência, A Consciência sem Fronteiras, O Projeto Atman, O Paradigma Holográfico, Um Deus Social, Transformações da Consciência, O Olho do Espírito, A União da Alma e dos Sentidos, Psicologia Integral, Uma Teoria de Tudo, Boomerite, Espiritualidade Integral e Graça e Coragem.


Atualmente, o Integral Institute possui um corpo de mais de 400 pensadores desenvolvendo, sob o enfoque integral, teorias e metodologias práticas nas seguintes áreas: Artes, Ciência Integral, Consciência, Criminologia, Direito, Ecologia, Educação, Educação Correcional, Espiritualidade, Feminismo, Finanças, Matemática, Medicina, Ministério Congregacional, Negócios e Liderança Empresarial, Política, Prática de Vida Integral, Psicologia, Redação, Saúde Pública, Serviço Social, Suicidiologia e Sustentabilidade.


Além disso, em 2007 iniciaram-se as atividades da Integral University, que oferece programas de mestrado e doutorado à luz da Visão Integral.


Os esforços do Integral Institute estão concentrados no desenvolvimento e integração de teorias e metodologias que melhorem o desempenho e mantenham equilibradas quatro perspectivas fundamentais (Wilber as chama de quadrantes) presentes em tudo que compõe o universo: comportamental, intencional, cultural e social.


Além disso, o Modelo Integral preocupa-se em integrar os diferentes e variados níveis de consciência das pessoas, tanto individual quanto coletivamente.




Nestes tempos de turbulência e interconectividade radical, a possibilidade de transformação coletiva nunca foi tão grande e nada é mais importante para essa transformação global do que a atualizar as abordagens e práticas espirituais para o mundo de hoje.


As contribuições wilberianas no campo da psicologia, por exemplo, tiveram tal impacto cultural que a crítica o aclamou como o “Einstein da psicologia moderna”.



“Os místicos e os sábios estão loucos? Porque todos eles contam variações da mesma história, não é? A história de acordar uma certa manhã e descobrir que você é Um com o Todo, de uma maneira sem tempo, eterna e infinita. Sim, talvez eles estejam loucos, esses tolos divinos. Talvez sejam idiotas balbuciando na face do Abismo. Talvez precisem de um bom e compreensivo terapeuta. Sim, tenho certeza que ajudaria. Mas, então, me pergunto. Talvez a sequência evolucionária realmente seja da matéria para o corpo para a mente para a alma para o espírito, cada um transcendendo e incluindo, cada um com uma profundidade maior e com uma consciência maior e uma abrangência mais ampla. E nos alcances mais altos da evolução, talvez, apenas talvez, a consciência individual toque de fato o infinito – a abrangência total do Cosmos – uma consciência Cósmica que é o Espírito desperto para sua própria natureza. É no mínimo plausível. E, me diga: é essa história, cantada pelos místicos e sábios pelo mundo afora, em qualquer sentido mais louca do que a história do materialismo científico, que é aquela em que a sequência inteira é uma fábula contada por um idiota, cheia de som e fúria, significando absolutamente nada? Escute muito cuidadosamente: qual dessas duas histórias realmente soa totalmente insana?" - Ken Wilber, em “A Brief Story of Everything” (1996)


FONTE: http://muitoalem2013.blogspot.com.br/

Espaço Interior - Eckhart Tolle






Quando a consciência não está mais totalmente absorvida pelo pensamento, parte dela permanece no seu estado original, não condicionado, sem forma. Esse é o espaço interior.


A vida da maioria das pessoas é um amontoado desordenado de coisas: itens materiais, tarefas a fazer, questões sobre as quais pensar.


A mente dessas pessoas é ocupada por um emaranhado de pensamentos, um após o outro.





Essa é a dimensão da consciência dos objetos, que é a realidade predominante de um grande número de indivíduos - e é por isso que a vida deles é tão confusa.


Essa consciência precisa ser equilibrada pela consciência do espaço para que a sanidade retorne ao nosso planeta e a humanidade cumpra seu destino. O surgimento da consciência do espaço é o próximo estágio da evolução da nossa espécie.


O sentido da consciência do espaço é que, além de estarmos conscientes das coisas - que sempre se resumem a preocupações, pensamentos e emoções - existe um estado subjacente de atenção.





Isso quer dizer que temos consciência não apenas das coisas ( objetos ), como também do fato de que estamos conscientes.


É o que ocorre quando somos capazes de sentir um silêncio interior sempre alerta de fundo enquanto os eventos acontecem no primeiro plano. Essa dimensão está presente em todos nós.


No entanto, para a maioria das pessoas, ela passa totalmente despercebida. Às vezes eu a aponto da seguinte maneira: "Você é capaz de sentir sua própria presença?"


Quando não estamos totalmente identificados com as formas, a consciência - quem nós somos - se vê livre do seu aprisionamento na forma. Essa liberdade é o surgimento do espaço interior.





Ele chega como um estado de silêncio e calma, uma paz muito sutil enraizada dentro de nós, mesmo diante de algo que parece mau. De repente existe espaço em torno do acontecimento. Há também espaço ao redor dos altos e baixos emocionais, até mesmo da dor.


E, acima de tudo, existe espaço entre nossos pensamentos. Desse espaço emana uma paz que não é "deste mundo", porque este mundo é forma, enquanto a paz é espaço. Essa é a paz de Deus (ou seja lá como se queira denominar).




Dessa maneira, podemos desfrutar e estimar as coisas e os eventos sem lhes atribuir uma importância que eles não têm.


Estamos em condições de participar da dança da criação e de ser ativos sem nos apegar ao resultado e sem impor exigências pouco razoáveis em relação ao mundo, como "satisfaça-me", "faça-me feliz", "faça-me sentir mais seguro", "diga-me quem sou ".


O mundo não pode nos dar nada disso, e quando deixamos de ter essas expectativas, todo o sofrimento que nós mesmos criamos chega ao fim.





Toda essa dor se deve à valorização exagerada da forma e à falta de consciência da dimensão do espaço interior.


Quando essa dimensão está presente na nossa vida, podemos aproveitar as coisas, as experiências e os prazeres sensoriais sem nos perdermos neles, sem nos apegarmos internamente a nada disso, isto é, sem nos tornarmos viciados no mundo.


Sempre que a dimensão do espaço se perde ou não é conhecida, as coisas assumem uma importância absoluta, uma seriedade e um peso que na verdade, elas não têm.


Toda vez que o mundo não é visto da perspectiva do que não tem forma, da dimensão da consciência, ele se torna um lugar ameaçador e em última análise, de desespero.(...)





Podemos descobrir o espaço interior criando lacunas do fluxo do pensamento. Sem elas, o pensamento se torna repetitivo, desprovido de inspiração, sem nenhuma centelha criativa - e é assim que ele é para a maioria das pessoas.


Não precisamos nos preocupar com a duração dessas lacunas; alguns segundos bastam.


Aos poucos elas irão aumentar por si mesmas, sem nenhum esforço da nossa parte. Mais importante do que fazer com que sejam longas, é criá-las com frequência para que nossas atividades diárias e nosso fluxo de pensamento sejam entremeados com espaços de silencio e paz.

Eckhart Tolle em "Em Comunhão com a Vida"

FONTE: http://muitoalem2013.blogspot.com.br/
www.consciencia-estelar.blogspot.com

SAIBA SUA ORIGEM CÓSMICA PELO CALENDÁRIO MAIA





Através do calendário Maia podemos saber nossas origens cósmicas neste plano, a Terra. Diana de Assis, em seu livro Calendário Maia, da Editora Nova Era, ed.1998, explica que, segundo a revelação da Profecia Maia, há na Terra seres provenientes de quatro origens estelares, as quais formaram as raças que compõem a humanidade: de Sirius, Arcturus, Órion e das Plêiades.


Essas raças se misturaram, combinando quatro códigos genéticos. Os Maias associam cada raça a um Castelo.


Assim, os seres de Sirius são provenientes do Castelo Vermelho, os de Arcturos são do Castelo Branco, os de Órion são do Castelo Azul e os seres das Plêiades são do Castelo Amarelo.


Houve uma última leva que ingressou no plano, são os seres deAlfa Centauri, do Castelo Verde. Cada raça veio pra cá, originalmente com uma função específica.


Os conhecimentos de cada raça, de suas passagens cósmicas de origem, foram se incorporando aos códigos genéticos das raças e, assim, colaborando com a evolução do plano. Fazia parte do plano esta mistura entre as raças (como, de fato, ocorreu, principalmente aqui no Brasil...rs - *só um detalhe, deve ser por isso que todas as correntes espiritualistas afirmam que o Brasil será o berço do mundo novo, da Nova Era), para que os conhecimentos fossem transmitidos através dos códigos genéticos e passando a ser patrimônio de todos.


Além dessas quatro raças, outras foram sendo recebidas no plano, exiladas de outros orbes (como o famoso Exilados de Capela...). Na primeira viagem até a Terra, vieram seres de várias raças, incorporados na primeira Célula, a do Castelo Vermelho (provenientes de Sirius, alguns ainda de outros planos, englobados nesta turma). Infelizmente, a maioria dos seres deste Castelo Vermelho imergiram nas seduções do plano material e foram perdendo as lembranças de suas origens estelares, restando-lhes apenas a sabedoria iniciática deixada no plano, como migalhas para retomar o caminho.


A segunda célula a vir para cá é composta pelos seres de Arcturus (Castelo Branco). Vieram pra tentar ajudar o pessoal do Castelo Vermelho a recobrar a memória e retomar o caminho. Porém, os seres de Arcturus também acabaram se enredando aqui na matéria e perdendo a lembrança.


Na sequência vieram os seres da Célula Azul, provenientes de Órion (a 3a leva) e os seres do Castelo Amarelo, das Plêiades. Identicamente, também vieram tentar resgatar os demais e, da mesma forma, perderam a memória.


Bem pessoal, aqui vai um pequeno comentário meu, como alguém que estuda ocultismo há muitos anos: a grande meleca é que todo mundo que encarna na Terra perde a lembrança de suas vidas passadas, faz parte deste plano, como ele é ainda até hoje (vai mudar na era de Aquário, quando as pessoas terão plena consciência de suas vidas passadas - mas, isso está muito no comecinho por enquanto, com algumas crianças nascendo já com padrões mais conscientes).


Então o pessoal entrou aqui, um atrás do outro, para ajudar os demais, e todos foram perdendo a lembrança. O pessoal de Órion e das Plêiades possuem o conhecimento necessário para encontrar a saída desse impasse que se instalou aqui na Terra e possuem maior facilidade de lembrar quem são e o que vieram fazer aqui.


A 5a raça a chegar aqui, do Castelo Verde, são os seres de Alfa Centauri. Eles vieram da 4a dimensão e se ofereceram para encarnar aqui e ajudar a criar uma nova estrutura social na Terra, a partir do final da estrutura velha (ou seja, a atual estrutura social...rs - e que já está em franco processo de desmoronamento com início da fase nova, a Nova Era - Era de Aquário).


O código genético da 5a raça está ajudando a transformar o código genético para ampliar nossos sentidos e assim passarmos a perceber a quarta dimensão. Estes seres lembram-se facilmente de quem são e de suas origens estelares.


Conforme o índice Harmônico que tenho aqui, as funções iniciais (e que, de preferência, devíamos realizar e entendo que ainda está em tempo de fazê-lo...rs) são as seguintes:


1ª leva - Sirius - Castelo Vermelho do Leste - função - Entrada da Informação (ou seja, vieram trazer informação pra cá)


2ª leva - Arcturus - Castelo Branco do Norte - função - Armazenamento - Recordar (armazenar as informações e ocasionar a lembrança de nossas origens, nossos dons paranormais - que são espirituais)


3ª leva - Órion - Castelo Azul do Oeste - função - Processamento - Formular (ou seja, processar as informações e formular soluções)


4ª leva - Plêiades - Castelo Amarelo do Sul - função Saída (desta enrascada...rs) - Expressar


5ª leva - Alfa Centauri - Castelo Verde Central - função Impressão Auto-regular (ou seja, vieram dar um "ajuste" no negócio todo aqui)


Para saber suas origens façam o seguinte: cliquem no link abaixo, no site do Calendário da Paz, onde está anotado para calcular o seu Kin. É só colocar sua data de nascimento e clicar para calcular o Kin. Irá aparecer um monte de informações, assinatura galáctica, etc. Embaixo da Família Terrestre está escrito o Castelo (estará escrito ali Castelo Amarelo do Sul, ou Castelo Vermelho...etc etc etc). As informações que coloquei só dá para saber isso, pegar o Castelo e ver suas origens.
O link para cálculo é este: SINCRONIA DA PAZ - CÁLCULO DO KIN


Abração a todos
Iara de Lorenzo


Fonte: http://sementesdomillenium.blogspot.com.br

A ESCALA HAWKINS DA CONSCIÊNCIA



A medição e a determinação matemática de níveis de consciência dos seres humanos é um dos trabalhos pioneiros e mais interessantes do médico psiquiatra americano David R. Hawkins (1927-2012), trazidos ao público em grande parte no livro “Poder contra Força: Uma Anatomia da Consciência – Os Determinantes ocultos do comportamento humano” (Power vs Force: The Hidden Determinantes of Human Behaviour), de 1995.


Hawkins realizou várias pesquisas usando a Cinesiologia e relacionou os níveis de consciência em estratificações que contém algumas semelhanças com, por exemplo, as estruturas dos chakras do Yoga e dos latiaf do Sufismo (ou de outras escolas espirituais e abordagens psico-espirituais).





"No livro “Poder vs Força: Os Determinantes Escondidos no Comportamento Humano”, David Hawkins revela algumas propriedades fascinantes da consciência humana. Neste trabalho, ele criou e calibrou um mapa enormemente útil da consciência humana, um mapa que deveria, muito apropriadamente ser chamado de "Escala Hawkins da Consciência".


Hawkins começou a sua prática de psiquiatria em 1952, e então descobriu o poder da Cinesiologia, a ciência que obtém respostas diretamente da mente subconsciente de uma pessoa através de um teste muscular.

A MENTE SUBCONSCIENTE



A mente subconsciente (ou inconsciente) é um segmento da sua gama total de consciência. A mente subconsciente armazena recordações e questões emocionais. Ela controla o sistema nervoso involuntário que administra sistemas como respiração, digestão e metabolismo.

Também está em comunicação com o universo como um todo. Em particular, está conectada com a mente global, ou inconsciente coletivo da humanidade.

Com a Cinesiologia, as mentes conscientes das pessoas são isoladas para que se recebam respostas claras diretamente das suas mentes subconscientes. Os testes são mecanicamente muito simples. Os indivíduos testados deixam um braço estendido horizontalmente ao lado do corpo enquanto a pessoa designada como testadora lhes diz para resistirem aos esforços para baixar o braço com cada pergunta. Se o braço permanece forte e fica horizontal, então a resposta da mente subconsciente do indivíduo é afirmativa. Se o braço se move para baixo devido à fraqueza, então a resposta é negativa.

Por exemplo, se testar um indivíduo para que resista enquanto alguém lhe diz: "Você tem um corpo humano”, o seu braço permanecerá forte. Se mudar a declaração para: "Você é um corpo humano" o braço ficará fraco, pois esta é uma declaração incorreta.


MAIS DO QUE UM CORPO FÍSICO



A razão para isto é que nós, como espíritos, apenas habitamos os nossos corpos físicos. Nós não somos os nossos corpos, embora o nosso ego tenda a considerar-nos apenas como aquele que nós vemos no espelho. A mente subconsciente sabe que a verdadeira resposta é: “Você tem um corpo humano”.

OS DOIS HEMISFÉRIOS

John Diamond, M.D., outro antigo investigador em Cinesiologia, observou casos onde os hemisférios direito e esquerdo do cérebro de uma pessoa trabalhavam. O hemisfério esquerdo do cérebro normalmente é usado para pensamento analítico e atividade verbal, enquanto o hemisfério direito é usado para atividades intuitivas e artísticas e para a orientação espacial.

OS CAMPOS DE ATRAÇÃO DO SUBCONSCIENTE

Nos casos raros onde ambos os hemisférios estavam trabalhando igualmente juntos, John Diamond descobriu que a pessoa exibia uma criatividade que ele denominou como a funcionalidade mais alta de um ser humano.




O trabalho do Hawkins centra os níveis de consciência ao redor de valores-chaves fundamentais da vida humana, principalmente a Integridade e a Verdade, sinônimos entre si e capazes de carregar o ser humano por todos os níveis, até o da iluminação e o da não-dualidade — como os de Buda, que, segundo ele, sustentava o nível 1000.

Segue um trecho do livro, onde Hawkins faz relações entre supostos níveis de consciência e seus efeitos:




"Embora apenas 15% de toda a população do mundo esteja acima do nível crítico 200 de consciência, a força coletiva desses 15% tem o peso para contrabalancear a negatividade dos 85% restantes da população mundial. Devido ao fato da escala de força avançar logaritmicamente, um simples Avatar em um nível de consciência de 1.000 pode, na verdade, contrabalancear totalmente a negatividade coletiva de toda a humanidade.Um indivíduo que vive e vibra na energia do otimismo e da disposição de não julgar os outros (nível 300) irá contrabalancear a negatividade de 90 mil pessoas que estão calibradas nos níveis mais baixos de força.Um indivíduo que vive e vibra na energia do puro amor por toda a vida (nível 500) irá contrabalancear a negatividade de 750 mil pessoas que estão calibradas nos níveis mais baixos de força.Um indivíduo que vive e vibra na energia da iluminação, graça e paz infinita (nível 600) irá contrabalancear a negatividade de 10 milhões de pessoas que estão calibradas nos níveis mais baixos de força (aproximadamente 22 desses sábios estão vivos hoje).Um indivíduo que vive e vibra na energia da graça, do espí­rito puro além do corpo, num mundo de não-dualidade e unidade completa (nível 700), irá contrabalancear a negatividade de 70 milhões de pessoas que estão calibradas em níveis mais baixos de forca (aproximadamente 10 desses sábios estão vivos hoje)." -Dr David R. Hawkins, em “Força e Poder”




David Hawkins descobriu que a Cinesiologia poderia ser uma avenida fascinante para o desconhecido, e ele começou a intuir o que ele chamou de “campos de atração no subconsciente”.

Campos de Atração são aquilo a que Carl Jung chamou arquétipos. Eles são criados pelos esforços de grupo de milhões de mentes no inconsciente coletivo e geram uma fascinação para as pessoas por causa do seu tamanho cumulativo.

O POTENCIAL DA CINESIOLOGIA

Justamente quando a sua atividade terapêutica se tornou excessiva, com cinquenta terapeutas e outros empregados trabalhando para ele, Hawkins abandonou tudo por uma vida de pesquisa. Em vez de tratar um paciente de cada vez, Hawkins quis descobrir como todos poderiam ser ajudados pela promessa e pelo potencial da Cinesiologia.

A sua pesquisa, durante vários anos, provou conclusivamente a mesma coisa que as novas físicas teóricas estão a começar a dizer: que tudo no universo está conectado. Com a Cinesiologia, ele confirmou que, para qualquer pergunta que for feita, se houver uma resposta em algum lugar do universo, ela chegará até si.

CALIBRAR OS NÍVEIS DE CONSCIÊNCIA



Ele também montou um sistema de calibração dos níveis de consciência humana. Atribuindo os números de 1 ao infinito como uma possível escala de valores de consciência, ele logo percebeu que teria que utilizar o logaritmo dos números, em vez dos números simplesmente. Isto é porque o poder da consciência a níveis mais altos é muito vasto se comparado com o poder da consciência a níveis mais baixos.

Quando se utiliza um sistema logarítmico de base-dez, o número 4 não é apenas duas vezes maior que o número 2. O logaritmo de 4 é 10.000 contra o valor do logaritmo de 2 que é só 100. Um nível de consciência de 300 não é apenas duas vezes maior que o nível de 150, o nível de 300 significa 10 elevado a 300; ou seja, o número 1 com 300 zeros depois dele!

O NÍVEL CRÍTICO DE CONSCIÊNCIA



Além disso, Hawkins descobriu que o nível de consciência de 200 é um nível crítico. Uma média global de 200 ou mais é necessário para sustentar a vida neste planeta sem que ele afunde em uma eventual autodestruição.

Desde meados dos anos 80, ele informa que a média global da humanidade na sua escala, subiu um pouco acima do nível 200 crítico. Isto, é claro, representa outra descoberta que confirma a existência de uma mudança em curso no nosso nível de consciência.


Ele começou então a cogitar sobre quantas pessoas de mais alto nível de consciência estariam compensando as pessoas que vivem abaixo do nível crítico de 200. Por exemplo, considere que 800 milhões de pessoas no mundo têm fome, com muitas delas vivendo num nível próximo da miséria total. A consciência num estado de desespero atinge apenas um nível de 50 na escala. Até mesmo a raiva e o ódio atingem um nível mais alto de frequência que a depressão profunda experimentada por aqueles que vivem sem perspectivas de esperança.


Portanto, aqui estamos, no planeta Terra, uma humanidade coletiva, nadando duramente através da vida para tentar manter o nosso queixo coletivo acima do nível crítico de 200, trabalhando pelo dia em que a fome e o desespero serão erradicadas de uma vez por todas do nosso mundo." (...)


SERVIR É ELEVAR O NOSSO NÍVEL DE CONSCIÊNCIA







"O que podemos fazer para ajudar? Conforme elevamos o nosso nível de consciência, contribuímos cada vez mais para a qualidade espiritual da mente global. Portanto, o nosso maior serviço à humanidade é, paradoxalmente, o desenvolvimento da nossa própria consciência.


Como exatamente é que isso pode ajudar o mundo? Voltando à ciência moderna e aos seus sistemas de numeração, juntamente com a preferência de hoje para resumos explicativos muito práticos, aqui está o resultados dos testes.


Um indivíduo com um nível mais alto de consciência compensa o peso de muitos, muitos indivíduos que estão abaixo do nível crítico de 200. Abaixo do nível 200 estão os campos de atração da vergonha, culpa, apatia, aflição, medo, desejo, raiva e orgulho. Bem no nível 200 crítico vem a coragem e a sua habilidade para fortalecer o ego, para retirá-lo da condição de vítima inerente às mais baixas frequências.


A um nível de 300, uma pessoa elevou-se acima de muitas emoções de conflito para alcançar um certo estado de não-julgamento e sentir otimismo. Ao nível de 300, uma pessoa, dentro da mente global, compensa o peso de um total incrível de 90.000 pessoas que estão abaixo do nível 200. Tal é o poder de estados mais altos de consciência.


A um nível de 400, o indivíduo alcança uma atitude um pouco mais harmoniosa que traz aceitação e perdão. Além disso, ele ganha um raciocínio mais aperfeiçoado que traz compreensão e significado para a vida. Este não é um nível difícil de alcançar. Por exemplo, a perseguição do objetivo de um ensino superior e de uma profissão funciona ao nível 400, onde uma pessoa compensa o incrível peso de umas 400.000 pessoas que estão abaixo do nível 200.


Para alcançar o nível de 500, uma pessoa precisa de estar espiritualmente consciente. A este nível, o amor incondicional e o perdão incondicional ficam mais vivos e bem mais encaixados na nossa realidade. Aqui, uma pessoa contrabalança 750.000 pessoas que são abaixo do nível 200.




Quando uma pessoa praticou meditação longa e diligentemente o suficiente para atingir consciência de felicidade ao nível 600, ela está, naquele momento, contrabalançando 10 milhões de pessoas abaixo do nível 200.


Será preciso uma razão mais forte para desenvolvermos as nossas faculdades interiores? Veja apenas o nível maravilhoso de serviço que cada avanço no nível de consciência traz ao nosso mundo. E tudo isto apenas por ser o que se é, e por aquilo em que nos podemos tornar. Antes mesmo de começar a ajudar as pessoas fisicamente, ajudemos a fazer do mundo um lugar melhor através do nosso apoio e ação direta. Este nível maravilhoso de serviço é o efeito direto do nosso nível de consciência num mundo que tem sentido uma enorme fome, por tanto tempo, de pensamento espiritual e de energia espiritual."




Um excerto do livro, "The Shift: The Revolution in Human Consciousness" de autoria de Owen Waters, Editora Infinite Being News.


"Todos nós caminhamos pela vida como um pacote constituído de corpo e mente. Enquanto todos nós estamos conscientes, o nível das nossas funções da consciência (que são subjetivas) variam de pessoa para pessoa. A realidade é imensamente complexada com sistemas solares, galáxias, luas e sóis, mas também com reações químicas, partículas, bactérias e ecologia. A vida esta toda em torno de nós, grandes e pequenos. Todos nós somos uma criação e nós estamos de alguma forma vivos em uma galáxia que é aparentemente sem vida. Sua consciência é um dom, ou um pouco de sorte como você pode achar. Consciência é sua capacidade de vigília para participar na vastidão da vida em vez de apenas ficar operando internamente, dentro de sua própria mente."
-Mikey O’Connell


Nível de consciência é o estado em que o ser humano toma suas decisões diferente de emoções que são passageiras. Todos nós passamos por esses estados durante situações diferentes. Todos os dias. Em determinadas situações nós comportamos de maneiras diferentes.


Conforme o nível do ser humano, há níveis onde ele toma MAIS decisões na sua vida, tem um determinado comportamento, o que revela o seu verdadeiro nível de consciência NO MOMENTO.







Dr David Hawkins, médico psiquiatra, espiritualista, autor de inúmeros livros identifica três níveis de consciência: "consciência do medo, consciência moral-ética e consciência espiritual.



Por esses três níveis passam os sentimentos de vergonha, culpa, apatia, tristeza, medo, desejo, raiva, orgulho, coragem, confiança, neutralidade, vontade, aceitação, compaixão, prazer, razão, amor, alegria, paz, iluminação espiritual." Especificamente no nível de consciência espiritual onde atingimos intimidade com Deus, e o que Ele quer que façamos.







VERGONHA: É o estado mais baixo de consciência do ser humano, é o que tem menos energia. Uma pessoa com vergonha não toma decisões, não interage com outros seres humanos, e não tem experiencias na vida, o que dificulta essa pessoa de aprender, por conta própria o que funciona ou o que não funciona.
Em seu nível mais sutil se manifesta como timidez, num nível extremo de vergonha a pessoa quer desaparecer, até suicidar-se. Pense nesse nível como o nível do extremo ódio pessoal.







CULPA: É um estado um pouco mais elevado que a vergonha, já que, para sentir culpa a pessoa tem que fazer alguma coisa. Uma pessoa com esse nível de consciência cria muito pouco, normalmente faz papel constantemente de vitima, culpa todos pelo seu fracasso,etc. Raramente tenta fazer alguma coisa nova, vive de recordações passadas de culpa e sente-se muito mal com isso. Pessoas extremamente religiosas vivem em culpa. Você pensa em si mesmo como um pecador, incapaz de se perdoar por transgressões do passado.





APATIA: Vitimização e ausência de esperança. O estado do desamparo aprendido. Muitos sem-teto estão presos aqui. Além de ser o estado que representa uma visão muito conveniente da sociedade, quando descrita como a sociedade da vitimização. As pessoas no estado de apatia, encontram-se paralisadas diante das circunstancia da vida.







DOR/SOFRIMENTO: É um estado de tristeza e perda perpétua. Normalmente você cai aqui quando enfrenta uma enorme perda na vida. Depressão. Só está acima da apatia pois aqui você está começando a se livrar da paralisia pesada que existe na escalada. O sofrimento mexe e muda as pessoas, e muitas vezes lhe tira do estado de total apatia.






MEDO: Você vê o mundo como perigoso e inseguro. Você pode existir em um estado de paranoia, sob constante preocupação e estresse de sua realidade atual. Para subir acima deste nível geralmente requer algum tipo de ajuda. Superar o medo é algo que todos nós temos de lidar. Níveis de medo diferem de segurança geral ao medo da rejeição da sociedade. O medo é apenas uma crença interna. Cria-se medo de si mesmo quando você perceber as situações e eventos sendo uma ameaça para o seu bem-estar geral.






DESEJO: Uma pessoa nesse nível só tem ambições na vida. Vive de vícios, desejo, luxúria e consumismo. Nunca está satisfeita. Esses vícios e desejos pode ser por dinheiro, aprovação, poder ou mesmo a fama. Você pode ficar preso em um estado de materialismo e consumismo. Materialismo significa que você conecte-se a objetos físicos. Você é feliz quando tem o que quer, mas fica desesperado para adquirir o que quer quando não tem. Bens físicos têm um efeito sobre o bem-estar ou mal-estar emocional se você permitir.






RAIVA: A raiva é um nível de frustração, muitas vezes de não ter seus desejos cumpridos nos níveis mais baixos. Junto com a vergonha, e a culpa, formam uma tríplice aliança conhecida. Nesses níveis baixos as pessoas só criam alguma coisa na vida, se tiverem algum inimigo imaginário pra jogar sua raiva. Isso é uma motivação pra elas.

Este nível pode estimulá-lo à ação em níveis mais elevados, ou pode mantê-lo preso em ódio.
Haverá eventos em que nos sentiremos infelizes. Lidar com eles em um estado de raiva geralmente resulta em tornar-se ainda mais infeliz. Combater a resistência com mais resistência tende a condicionar a pessoa em uma espiral levando a níveis ainda mais baixos de consciência (retrocesso).





ARROGÂNCIA/ORGULHO: Esse é o estado de consciência predominante da humanidade atualmente. É totalmente dependente de circunstâncias externas (dinheiro, prestígio, etc), ou seja: é altamente vulnerável. Esse é o estado que leva ao nacionalismo, racismo e guerras religiosas.
Um estado totalmente irracional de negação e defesa. Você se torna tão intimamente ligado as suas crenças que um ataque a elas se torna um ataque a você.






CORAGEM/OTIMISMO: Aqui o ego ainda existe mas há uma visão diferente sobre a vida, o individuo começa a olhar pra fora de si. Começa a se alinhar com a verdade, já não tem mais medo, está mais atento a situações da vida, mas está mais otimista, entende mais a verdade, o sofrimento dá um descanso. É o começo de um despertar espiritual.O primeiro nível de força real.
É aqui que você começa a ver a vida como desafiante e emocionante ao invés de opressora. Você começa a ver seu futuro como uma melhoria sobre o passado ao invés de simplesmente a continuação do mesmo.




NEUTRALIDADE: Neutralidade é um nível de sistemas de crenças flexíveis, descontraídos, e desapegado. Aconteça o que acontecer, você vai estar firme em sua posição. Você não tem nada a provar. Você se sente seguro e convive muito bem com outras pessoas. Um monte de pessoas autônomas estão neste nível que é um lugar muito confortável. É também um nível de complacência e "preguiça". Você está cuidando de suas necessidades, mas você não se esforça demais.



COMPLACÊNCIA: Neste nível, você começa a usar sua energia de forma mais eficaz. Agora que você está seguro e confortável, você começa a usar sua energia de maneira mais eficiente. Só viver e deixar viver não é mais o suficiente. Pense nesse aqui como o nível do desenvolvimento da força de vontade e da auto-disciplina. As pessoas daqui são os “soldados” da sociedade: eles fazem as coisas bem e não reclamam sobre quase nada. É exatamente aqui que sua consciência se torna mais organizada e disciplinada.





ACEITAÇÃO/PERDÃO/COMPREENSÃO: Níveis elevados de espirito. Aqui já há um entendimento muito maior dos processos da vida, e da verdade, aqui há a verdadeira mudança, deixar de lado os velhos dogmas, viver com propósito.
Aqui acontece um movimento poderoso de energias e você acorda para as possibilidades de se viver proativamente. No nível da complacência você se torna competente e aqui você quer colocar suas habilidades para fazer algo bom. É aqui que você define e alcança metas.
Você começa a aceitar sua responsabilidade pelo seu papel no mundo. Você começa a ver a “grande figura” da sua vida mais claramente.





RAZÃO/CONTEMPLAÇÃO: Neste nível, você transcende os aspectos emocionais dos níveis mais baixos e começa a pensar mais claramente e racionalmente. Hawkins define este nível como a nível da medicina e da ciência. É o nível de consciência dos mestres. Os realmente desapegados. Os que estão em completa sintonia com a verdade, tem o corpo a mente e o espirito totalmente resguardado das desilusões da vida e do sofrimento dos níveis baixos. Olha-se o mundo como um todo para começar a fazer contribuições significativas.
Nesse nível vive-se em estado de apreciação com tudo o que é. Não há guerra, não há sobrevivência, não há luta. Aceita-se o mundo e a sua realidade e a transformam através da experiencia.





AMOR : A nível do amor incondicional há um entendimento permanente de sua conexão com tudo o que existe. No nível do amor você coloca sua cabeça e todos os seus outros talentos e habilidades a serviço de seu coração, e não suas emoções.
Esse é o estado em que você realiza seu verdadeiro propósito. Suas motivações nesse nível são puras e incorruptíveis pelos desejos do ego. É aqui o estado do serviço para a humanidade. Nesse nível você também começa a ser guiado por uma força maior do que você. É um sentimento de se deixar levar. Sua intuição se torna extremamente ‘forte’. Hawkins diz que esse nível é alcançado apenas por uma em 250 pessoas durante todo o seu tempo de vida.
Uma parcela minima como 0,0001% vive nesse estado.





HUMOR/ALEGRIA: Este é um estado de felicidade penetrante e inabalável. Em outras palavras, o humor é o estado de consciência maior que o ego consegue atingir. É o inicio do desapego com a vida, de reconhecer como o mundo é e fazer piada com isso.
É o nível dos santos e dos mais ‘avançados professores de espiritualidade’. Só de estar perto de pessoas nesse nível faz com que você se sinta incrível. Nesse nível a vida é totalmente guiada pela intuição e sincronicidade (as coisas começam a acontecer por relação de significado). Não existe mais a necessidade de declarar metas ou de criar planos detalhados – a expansão da sua consciência permite que você opere sobre um nível muito mais elevado.







PAZ : Total transcendência. Hawkins diz que esse nível só é alcançado por uma pessoa em 10 milhões.





ILUMINAÇÃO: O nível mais alto da consciência humana, onde a humanidade se confunde com a divindade.
Iluminação como dizia os antigos mestres, é a união do ser com o todo. O fim do individualismo. O fim do eu. Fim do ego. O homem transcendental.
Extremamente raro. Só o fato de pensar sobre pessoas desse nível pode fazer com que você aumente seu nível de consciência. É aqui que acontece o estado da “Consciência Elevada” tão bem conhecido como “Super Consciência”. Você vê o mundo como ele realmente é. Indescritível.




http://muitoalem2013.blogspot.com.br/

O QUE PROCURA? ACHE POR AQUI!